Moradia

Integrantes de 22 ocupações se somam à marcha do MTST em SP

Militantes movimento percorrem 23 quilômetros até o Palácio dos Bandeirantes para exigir políticas de moradia

Brasil de Fato | São Paulo

,
Militantes de 22 ocupações do MTST aguardavam a chegada da Marcha, na estação Morumbi do Metrô de São Paulo / Marcelo Cruz

Movimentos populares, sindicalistas e moradores de 22 ocupações do Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST) se juntaram à marcha da Ocupação Povo Sem Medo, que está percorrendo 23 quilômetros, de São Bernardo do Campo (SBC) até o Palácio dos Bandeirantes, sede do governo estadual, na capital paulista.

A estimativa é de que 50 mil pessoas estejam participando do ato desta terça-feira (31).

A marcha passou por Diadema e por outros bairros da Zona Sul de São Paulo.

O destino final da mobilização é o Palácio do Governo, onde o MTST pretende cobrar do governador Geraldo Alckmin (PSDB) a desapropriação do terreno ocupado por mais de 6 mil famílias em SBC, para a construção de moradias populares.

Além disso, o movimento pedirá a construção imediata de moradias em terrenos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU) já destinados em projetos, assim como a manutenção do programa estadual Casa Paulista.

Para Luciana Ribeiro dos Santos, integrante da Ocupação Povo Sem Medo de Guarulhos há quatro meses, a mobilização é importante: "Estamos pressionando o governo e nos mobilizando para irmos atrás dos nossos objetivos, lutar pela nossa moradia", afirmou.

Na tarde de ontem (30), artistas e militantes se uniram no acampamento em SBS para um show de Caetano Veloso, que estava previsto para o início da noite, mas foi impedido de acontecer pela Justiça. Diante da proibição, os artistas participaram de uma manifestação em apoio à ocupação e à marcha desta terça.

Acompanhe a cobertura ao vivo:

Edição: Vanessa Martina Silva