TRANSPORTE PÚBLICO

Em Niterói (RJ), alto preço da passagem favorece a evasão no Ensino Superior

Jovens universitários da periferia são os mais afetados pela falta de passe livre

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

Prefeitura afirma que meio passe universitário será implementado em Niterói / Foto: C.Junior/Divulgação

Uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada, o IPEA,  apontou que para uma  parcela do país, que corresponde aos 10% mais pobres, o impacto médio do gasto com transporte público na renda domiciliar é de 13,5%, enquanto a média total, que inclui famílias de todos os níveis, o gasto é de 3,4%.  

E foi pensando em tornar as cidades mais inclusivas e acessíveis que muitos movimentos sociais  têm levantado a bandeira do passe livre. Em Niterói, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, não tem sido diferente.  O estudante de Direito Rafael Costa é o atual presidente do Conselho Municipal de Juventude, ele conta à Radioagência Brasil de Fato que o alto preço da passagem, atualmente fixado em R$3,90, está aliado à evasão do ensino. 

"A taxa de evasão e desistência é muito alta nas universidades, principalmente por conta da dificuldade financeira de muitos jovens de continuarem estudando porque não tem dinheiro pro material, transporte”, comenta. 

A Prefeitura de Niterói, que está sob a gestão de Rodrigo Neves, do Partido Verde, apresentou como alternativa ao passe livre, o meio passe universitário. Costa reconhece que a medida é um avanço, mas afirma que não resolve o problema do acesso ao transporte público no município. 

“A gente entende que o meio passe universitário é insuficiente, até porque nós sabemos que as empresas de ônibus possuem condições de ampliar os direitos, a própria CPI dos ônibus que já esteve na nossa Câmara Municipal provou uma série de irregularidades na contabilidade e licitação no sistema municipal de transporte público, então a gente entende que a nossa luta é para o passe livre total e irrestrito para toda a juventude”, afirma. 

A proposta do passe livre em Niterói busca atender principalmente a juventude periférica que contabiliza cerca de 15 mil jovens, enquanto o meio passe universitário atenderia aproximadamente 6 mil jovens.  

A Radioagência entrou em contato com a Prefeitura do município para um parecer sobre o andamento da implementação do meio passe universitário. A assessoria de comunicação informou que o projeto de lei que cria o subsídio para estudantes universitários niteroienses de baixa renda, com até 29 anos, foi encaminhado  à Câmara de Vereadores, porém retornou ao Poder Executivo para que seja anexado o impacto orçamentário da proposta, que está em fase de elaboração. 

A assessoria destacou também que o meio passe poderá ser utilizado de segunda a sábado e que o governo está analisando as sugestões oriundas do Conselho Municipal de Juventude, do movimento estudantil e da sociedade civil para aperfeiçoar a proposta. 

Edição: Vivian Virissimo