Novela

ARTIGO | Polêmica sobre “O outro lado do paraíso”

Colunista do Brasil de Fato MG comenta: novela é para entreter ou para refletir?

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,

Ouça o áudio:

Olhando a repercussão dessa polêmica nas redes sociais, encontramos comentários a favor e contra a novela / Divulgação

Há um mês no ar, a novela “O outro lado do paraíso” tem dividido opiniões. A razão disso são as tramas apresentadas, que vêm sendo consideradas pesadas por parte dos telespectadores. Cenas de abuso sexual e do espancamento de Clara por Gael, as ofensas racistas de Nádia à sua empregada Raquel, o sumiço forçado de Elizabeth da sua filha sob duras ameaças do sogro, as humilhações de Sophia à sua filha que é anã, o sofrimento de Samuel com sua homossexualidade, a internação forçada de Clara numa clínica e por aí vai…

As opiniões se dividem entre aqueles que consideram as novelas como algo para o entretenimento e diversão, com estórias leves e alegres, que não estão gostando dos rumos da trama das nove; e os que a elogiam por expor temas que fazem parte da nossa realidade, que merecem ser debatidos, ressaltando o papel social que as novelas têm.

Olhando a repercussão dessa polêmica nas redes sociais, encontramos comentários a favor e contra a novela. “O mundo real já está violento demais para a televisão ficar dando ênfase em violência, tragédias”; “conhecemos muito bem o que é real, só que quando chegamos em casa, depois de um dia exaustivo de trabalho e trânsito, queremos algo leve para descontrair, rir, esquecer o dia a dia!”; “já existe tanta desgraça na vida todos os dias, quando chegamos em casa queremos ver coisas boas”, dizem alguns críticos.

Por outro lado, quem defende o caminho tomado pela trama diz: “a hipocrisia é tamanha que quando uma novela joga na cara dos brasileiros a violência doméstica, racismo, gay no armário, delegado corrupto e juiz dono de puteiro fica todo mundo incomodado querendo ver coisas mais leves”; “que hipocrisia, até parece que na vida real não existe nada de pesado: gays, racismo etc. A novela só retrata o que acontece na vida real sem cortes”; “esses temas têm que ser debatidos, pois é o que mais acontece em nosso meio social, e as pessoas querem simplesmente fechar os olhos para a verdade”.

Boa polêmica essa!

No entanto, especula-se que a emissora está tomando medidas para suavizar a novela, cortando as cenas mais pesadas e acelerando a trama para a sua segunda fase, que promete ser mais leve.

E você? O que acha desses debates envolvendo “O outro lado do Paraíso”?

 

Edição: Joana Tavares