INAUGURAÇÃO

Com Chico e Lula, MST inaugura campo de futebol que homenageia Sócrates Brasileiro

Quatro partidas marcaram a abertura do campo de futebol Dr. Sócrates Brasileiro em Guararema

Brasil de Fato | Guararema (SP)

,
A primeira partida entre os amigos de Chico Buarque contra os Veteranos do MST empatou em 5 a 5 / Joka Madruga

Juristas, artistas, políticos e apoiadores do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) calçaram suas chuteiras e entraram em campo neste sábado (23).

Quatro partidas marcaram a inauguração do campo de futebol Dr. Sócrates Brasileiro na Escola Nacional Florestan Fernandes (ENFF) — espaço de formação política do MST localizado em Guararema, interior de São Paulo. Cerca de 1.500 pessoas estiveram presentes no evento.

A primeira partida ocorreu entre o time dos amigos do cantor e compositor Chico Buarque, que incluiu o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e a equipe de veteranos do movimento. O jogo empatou com 5 gols para cada time.

Angela Bernardinho representou o MST e contou da experiência de dividir o campo com figuras históricas: "É uma homenagem mais que justa ao nosso Magrão, o Dr. Sócrates. Essa inauguração teve a presença da pessoa que ajudou a construir essa escola, que foi o Chico Buarque. E o Lula é essa pessoa que dispensa comentários e que quase me deu uma caneta", disse ela em referência a um drible conhecido no futebol.

Foto: Joka Madruga

A partida teve a arbitragem do jornalista Juca Kfouri: "Eu vou apitar o jogo hoje e quero diz que deixo de ser Juca Kfouri para virar o juiz Juca Moro e já adverti Lula com cartão amarelo antes mesmo do jogo começar", brincou o jornalista.

Foto: Joka Madruga

Por volta das 15 horas, o Prerrogativas, time formado por advogados progressistas, jogou com o Democracia Futebol Clube,  que reúne juristas, advogados e promotores de justiça. O jogo dos profissionais de justiça foi auto-gestionado e dispensou a presença de um juiz.

O advogado Alexandre Pacheco representou o Prerrogativas, que ganhou de 7 a 1. "Não teve juiz porque a gente não precisa. Juiz só serve para atrapalhar nossa vida", brincou o advogado.

"O jogo foi divertidíssimo, é uma alegria estar aqui no campo do Dr. Sócrates, que é uma referência para gente. É uma delícia jogar só entre amigos", adicionou Pacheco.

As disputas, pontuou a advogada Paloma Gomes, do Democracia Futebol Clube, ficam só campo. Ela ressaltou a importância do dia para confraternização entre os militantes.

"É um momento histórico. Estamos vivendo um momento delicado no país e a gente está afirmando a democracia e a esquerda brasileira está unida. É essa nossa perspectiva aqui, mostrar que a esquerda tem força, através de um ato de futebol, mas que significa essa força de esquerda no país", disse.

Foto: Júlia Dolce

Já a terceira disputa foi regional: os sem-terra gaúchos jogaram versus os militantes da estadual do MST em Itapeva, São Paulo.

O advogado Maurício Romã, do setor de Direitos Humanos do MST-RS, comemorou a vitória com um gol "sofrido". Ele conta que o movimento enfatiza a experiência cultural e esportiva dentro da organização. No estado, os sem-terra organizam o campeonato estadual da reforma agrária desde 2005.

Para ele, o futebol tem a potência do encontro. "Em muitas comunidades, você tem que achar uma motivação de agregar. E muitas vezes o futebol agrega mais do que uma reunião política. Então, é necessário que exista esses torneios e essas competições regionais e depois as competições estaduais dentro das organizações e do movimento."

O dia foi encerrado com a partida do time da ENFF entre e o time das torcidas organizadas de São Paulo, como a Gaviões da Fiel.

Edição: Beatriz Pasqualino