2ª instância

Líderes latino-americanos expressam solidariedade a Lula após condenação

Ex-presidente foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão por crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva

Lula e Evo Morales: líder boliviano expressou solidariedade para com Lula / Reprodução

Líderes latino-americanos enviaram ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva mensagens de apoio e solidariedade após a Justiça negar, nesta quarta-feira (24/01), o recurso apresentado pela defesa do petista diante da condenação no caso do tríplex. Ele nega ser o dono do imóvel.

Lula foi condenado em segunda instância a 12 anos e 1 mês de prisão pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção. A pena anterior, determinada pelo juiz Sérgio Moro, era de 9 anos e 6 meses. Os desembargadores definiram também que a execução da pena somente se dará após os recursos cabíveis no próprio TRF-4.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, expressou sua "absoluta solidariedade e respaldo" a Lula. "Resulta inaceitável e contrário aos princípios democráticos que a direita brasileira, em acordo com poderosos meios d ecomunicação, manipule as instituições judiciárias com a intenção manifesta de truncar o regresso da Revolução popular do Brasil à Presidência, sob as mãos de Lula da Silva. Estas ações não só são a expressão fidedigna do golpe continuado contra o povo brasileiro, mas também são parte de uma arremetida sistemática contra a integração latino-americana e caribenha", diz nota divulgada pela chancelaria do país.

O da Bolívia, Evo Morales, disse que Lula foi sentenciado “injustamente”. “O irmão Lula da Silva é vítima de uma conspiração que busca impedir que seja candidato e ganhe as eleições com o apoio do povo ao qual dedicou toda sua vida”, afirmou, via Twitter.

O Ministério de Relações Exteriores de Cuba, por sua vez, enviou uma nota, em que reitera “seu respaldo e solidariedade com o companheiro Lula, que é objeto da mais feroz perseguição política e judicial com fim de impedir sua candidatura à Presidência”.

Já a ex-presidente da Argentina, Cristina Kirchner – que atravessa problemas semelhantes em seu país – disse, também pelo Twitter, que “acompanha a Lula e ao povo do Brasil”, e pediu justiça ao ex-presidente.

Outras personalidades

A ex-senadora colombiana Piedad Córdoba, muito atuante na área de direitos humanos em seu país, também falou sobre a condenação de Lula, citando Martin Luther King. “Sonho com dia que o bem derrotado vencerá ao mal triunfante”, afirmou.

O argentino Adolfo Pérez Esquivel, Nobel da Paz de 1980, afirmou que defender Lula é defender a democracia no Brasil e na América Latina, frente aos golpes de Estado brancos”.

Edição: Opera Mundi