Folia

Pré-carnaval independente quebra estereótipos nas ruas de Curitiba; confira a agenda

A programação para os próximos 15 dias será intensa

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,

Ouça a matéria:

Saí do Armário e Me Dei Bem é exemplo de grupo que une militância com cultura popular / Melito/Fotofolia

O pré-carnaval independente de Curitiba vem crescendo nos últimos anos. Os blocos começaram a tomar as ruas com marchinhas, fantasias e purpurinas já em janeiro e a programação segue para além da quarta-feira de cinzas.

Um dos exemplos é a “bloca” (sim, no feminino) Saí do Armário e Me Dei Bem que une militância pelos direitos da população LGBT com a festa popular do carnaval.

André Daniel é integrante da “bloca” e conta que o grupo vai para a rua de forma independente, sem recursos de empresas ou da prefeitura. “A gente vem de outra corrente que não quer passar por todas essas burocracias de alvará, pedidos de limpeza, policial, e bláblá - uma enrolação toda. Então ir para a rua sem avisar ninguém é uma forma de fazer isso sem depender de prefeitura, de meios políticos partidários. Estamos indo lá para mostrar nossa alegria como civis mesmo”.

A “bloca” faz paródias de marchinhas do carnaval e ressignifica letras que são ofensivas ou que reforçam estereótipos de gênero. Um exemplo é a famosa “Maria sapatão / sapatão / sapatão / de dia é Maria / de noite é João”, que é transformada em “Maria sapatão / sapatão / sapatão / deixa as gurias / piscando de tesão”.

Saí do Armário e Me Dei Bem é exemplo de grupo que une militância com cultura popular. Na imagem, André Daniel. Foto: Dayana Luiza / Fotofolia

André Daniel comenta que a versão original da música confunde orientação sexual (com quem a pessoa se relaciona afetiva e sexualmente) com identidade de gênero (qual gênero a pessoa se identifica, independente do sexo biológico). “Como se a sapatão fosse uma mulher-homem, uma mulher-macho”, comenta. Para ele, as pequenas mudanças nas letras tornam as músicas mais representativas para os LGBTs. “A linguagem é uma forma de continuar a história que faz o pensamento se cristalizar. Se a gente não muda na linguagem, vai ser sempre esses estereótipos bobos nas [marchinhas de carnaval]”, completa.

Para além do carnaval

André Daniel conta que o Saí do Armário e Me Dei Bem começou com diversas pessoas que participavam de grupos de cultura popular e outros blocos da cidade, mas sentiam falta da representatividade LGBT. “Muitas vezes na cultura popular e nas tradições de rua, o tambor está associado à virilidade. Um homem, forte, viril que toca um tambor grande”, avalia. “É uma bloca composta totalmente por pessoas LGBTs na bateria que vem quebrar com esse estereótipo”, afirma.“Mostra para cidade que nós somos capazes, que nós existimos, resistimos e não queremos mais nos esconder”, completa André.

Saí do Armário e Me Dei Bem comemora um ano em fevereiro e, além de agitar o pré-carnaval, já tocou na Marcha pela Diversidade, no mês da visibilidade lésbica (agosto) e na manifestação pela liberdade de orientações sexuais e identidades de gênero (setembro). A “bloca” também fez saídas mensais durante todo 2017, normalmente com concentração no Paço da Liberdade indo em direção ao Relógio das Flores.

Confira as Escolas de Samba que irão desfilar

Além dos blocos de rua, o carnaval em Curitiba tem o desfile tradicional das Escolas de Samba. No último ano, a gestão do prefeito Rafael Greca (PMN) cortou drasticamente os recursos para a festa e não houve disputa pelo título. Em 2018, nove escolas irão desfilar no sábado de carnaval (10), na Avenida Marechal Deodoro, no Centro da cidade.

Às 13h inicia o desfile das alas mirins das escolas de samba, depois vem os desfiles de blocos como Rancho das Flores, Fogosa e Boêmios da Madame. A noite, as escolas de samba começam a passar pela avenida. Primeiro entram as quatro escolas do grupo de acesso: Unidos de Pinhais, Império Real de Colombo, Enamorados do Sambae Internautas. Em seguida, vem as escolas do grupo especial: Mocidade Azul (que venceu a última competição), Acadêmicos da Realeza, Embaixadores da Alegria, Leões da Mocidade e Imperatriz da Liberdade.

Confira a programação:

02/02 Sexta-feira

19h - Bloco Burlesco Cachorras, na Avenida Jaime Reis, 396,

20h - Adorei convida Batom Barato, concentração no Bar e Mercearia Belém, na Rua Celestino Jr., 79

03/02 Sábado

15h30 - Garibaldis e Sacis vai à Praia, na Saldanha Marinho.

16h20 - Bloco 10afinados & daí?Berro de Carnaval – na Rua São Francisco

04/02 Domingo

15:00 - Garibaldis e Sacis Baby / Super Heróis –no Sítio Cercado

14h – Bloco Afro Prestinhosidade, concentração em frente às escadarias do prédio histórico da Federal.

08/02 Quinta-feira

17h30 - Grito de Carnaval do Distinto, na Rua Saldanha Marinho, 894

09/02 Sexta-feira

20h - Encontro de Blocos de Carnaval 2018, Boca Maldita.

10/02 Sábado

13h - Desfile dos Blocos Carnavalescos e Escolas de Samba, na Avenida Marechal Deodoro

11/ 02 Domingo

7h -  Desfile dos Blocos Carnavalescos e Escolas de Samba, na Avenida Marechal Deodoro

12h - Marcha ZombieWalk, saindo da Boca Maldita e chegando até a Praça Nossa Senhora de Salete

15h - Apuração das notas dos desfiles das Escolas de Samba, no Memorial de Curitiba

16h - Bloco Carnavalesco Segura O CUritiba, Largo das Artes/ Casa Ocitocina

12/02 Segunda-feira

13h - PsychoCarnival, na Praça Nossa Senhora de Salete (Centro Cívico)

17/02 - Sábado

15h: Bloco de Samba Boca Negra, Viaduto Capanema.

16h20: Bloco 10afinados &daí?, Rua São Francisco



 

Edição: Ednubia Ghisi e Franciele Petry Schramm