Saúde

Servidores do Ipsemg entram em greve na sexta-feira (23)

Trabalhadores denunciam condições precárias e, sem repasse de recursos, hospitais deixam de atender beneficiários

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
Número de funcionários encontra-se reduzido e a contratação de terceirizados aumentou / Willian Dias

Trabalhadores do Instituto de Previdência dos Servidores do Estado de Minas Gerais (Ipsemg) entrarão em greve a partir desta sexta-feira (23). A decisão foi anunciada durante uma audiência pública que aconteceu nesta quarta-feira (21), na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG). A reunião discutiu a suspensão do atendimento prestado por clínicas e hospitais credenciados por conta do atraso no repasse dos recursos do instituto. 

Além disso, foram levantados os problemas enfrentados pelos servidores, que denunciam a falta de materiais e outras condições de trabalho precárias, como número de funcionários reduzidos e aumento da contratação de terceirizados e de cargos comissionados.

Com a suspensão do atendimento aos beneficiários, inúmeros procedimentos antes cobertos pelo Ipsemg estão ameaçados. Hoje, no estado, existem mais de 4 mil pessoas à espera de cirurgias que seriam realizadas pelo plano de saúde. 

Durante a assembleia, Hugo Vocurca Teixeira, presidente do Ipsemg, reconheceu o atraso nos repasses e informou que o governo "já fez um cronograma de pagamento para regularizar a prestação de servidos". No entanto, ele admitiu que ainda há dificuldades em negociações com algumas unidades hospitalares. 

Já o governo estadual, por meio do assessor-chefe de Relações Sindicais, Carlos Calazans, declarou que "está providenciando pagamentos a fornecedores e credenciados". "Quero crer que eu março tudo será regularizado", disse.

Consulte aqui o resultado da reunião.

*Com informações da ALMG

Edição: Raíssa Lopes