Rádio

Ouça o Programa Brasil de Fato - Edição Minas Gerais 10/03/2018

Edição especial para as mulheres! Vamos falar sobre desafios, avanços e vitórias na vida das brasileiras. Confira!

Belo Horizonte

,

Ouça a matéria:

Duas mil mulheres acamparam na ALMG na luta por democracia, soberania e autonomia / Lidyane Ponciano - CUT/MG

O programa dessa semana é especial pra elas! Pras nossas ouvintes queridas que ficam sintonizadas com a gente! E pra quem não sabe, o Dia Internacional de Luta das Mulheres, o 8 Março, surgiu ainda no início do século 20, no auge da Revolução Industrial. As mulheres, organizadas em partidos e sindicatos, logo viram que necessitavam de direitos específicos, como licença maternidade e autonomia sobre sua vida.  

Depois a indústria se apossou da data para lucrar em cima de um dia tão simbólico. Mas é sempre bom lembrar que o 8 de março é o dia em que mulheres de todo o mundo saem às ruas para dizer “basta” a todas as formas de opressão e exploração e para lutar por direitos iguais.  E é por isso que todo 08 de março as mulheres organizam atividades de luta, que denunciam essa exploração! Aqui em Minas Gerais, neste ano a pauta foi Mulheres na luta: por democracia, soberania e autonomia. E um dos alvos de denúncia foi a Justiça Federal.

E durante todo o programa vocês conhecem diversas história de mulheres que também são assim bem corajosas e enfrentam a luta pelos direitos trabalhistas. Você confere tudinho no quadro Presidentas!

Os dados da violência contra a mulher brasileira, infelizmente são alarmantes! Segundo informações do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, no Brasil 12 mil mulheres são espancadas por dia! A cada hora 500 mulheres são vítimas de violência. 

Um empurrão, um tapa, uma fala mais agressiva, o toque sem a permissão. Tudo isso são formas de violência contra mulher. E às vezes ela começa com a violência psicológica. 

As histórias são inúmeras, as denúncias vêm aumentando. Mas superar um caso de violência doméstica ainda é algo difícil e doloroso. Mas possível. Em um relato emocionante, Lucimar Gonçalvez, diretora da Federação dos Trabalhado da Agricultura Familiar, a Fetraf, conta como aprender a dar nome a violência e a superar o machismo. 

Nesse programa você também conhece um pouco mais sobre a história de Maria Bonita no quadro Mulheres Cabulosas da História. A cangaceira arretada que nasceu em pleno um 08 de Março!

 

Edição: Minas Gerais