Pelo Brasil

Caravana de Lula estará em Curitiba quando TRF4 julgar recursos de sua defesa

Quarta etapa das caravanas do ex-presidente começa no próximo dia 18 no Rio Grande do Sul e termina dia 28 no Paraná

São Paulo (SP)

,
Encerramento da etapa mineira foi em Belo Horizonte. Quarta edição será marcada por tensão do julgamento / RICARDO STUCKERT

A quarta etapa do projeto Caravana Lula pelo Brasil, agora na região Sul, começa no próximo dia 18, em Bagé (RS). A comitiva do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva terá seu ato inicial na cidade próxima à fronteira com o Uruguai, 380 quilômetros ao sul de Porto Alegre. E encerramento 11 dias e pelo menos 19 cidades depois, em 28 de março, em Curitiba. A caravana coincide com o período em que os juízes do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), de Porto Alegre, devem concluir a análise dos embargos de declaração, último recurso da defesa de Lula no âmbito da segunda instância do Judiciário.

A decisão do TRF4 é esperada para 26 de março. se se confirma, e os desembargadores mantvierem a sentença de 24 de janeiro, em que pedem a condenação de Lula a 12 anos e um mês de prisão, o líder em todas as pesquisas de intenção de voto para presidente da República corre o risco de ser preso. Os advogados que o defendem não conseguiram obter habeas corpus preventivo no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Agora, o mesmo mandado de segurança que poderia impedir a prisão do petista terá de ser avaliado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Mas a presidenta da Corte, Cármen Lúcia, ainda não programou o julgamento.

A defesa de Lula e especialistas em direito, do Brasil e do exterior, criticam o processo que levou à sua condenação. Consideram estar montado sobre alegações de crimes que não ocorreram, baseados em falsos testemunhos, com objetivo de promover uma caçada política ao ex-presidente, por meio do uso abusivo e violento do sistema de Justiça (termo internacionalmente conhecido como lawfare).

Os trechos paranaenses na parte final da caravana preveem de atividades em empreendimentos agroecológicos do Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) em Francisco Beltrão, no dia 26, a ato político em Curitiba dois dias depois. Prevê ainda seminário internacional da região da tríplice fronteira (com Paraguai e Argentina, em Foz do Iguaçu), eventos em defesa da reforma agrária e da pesquisa agrícola e visita ao campus da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), em Laranjeiras do Sul.

Antes, a comitiva terá passado por pelo menos quatro etapas em municípios de Santa Catarina, depois de percorrer o pampa gaúcho, onde terá encontros com o ex-presidente uruguaio e atual senador José Pepe Mujica (em Santana do Livramento) e visitará os museus dos ex-presidentes trabalhistas João Goulart e Getúlio Vargas, em São Borja, onde o corpo de Vargas foi enterrado em 1954 e o de Jango, em 1976.

Edição: RBA