Lula livre

Lula fez análise política e prometeu voltar mais forte; ouça o discurso em partes

"Eu sonhei que era possível pegar os estudantes da periferia e colocá-los nas melhores universidades desse país"

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Vou sair desta maior, mais forte, mais verdadeiro, e inocente, porque eu quero provar que eles é que cometeram um crime, um crime político / Ricardo Stuckert

Em São Bernardo, no ABC paulista, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um discurso histórico e inspirado para um multidão que formou desde a tarde de sexta-feira (6), em frente a sede do Sindicato dos Metalúrgicos.

Na primeira parte do discurso, Lula afirmou que a convicção do Ministério Público Federal não pode ser considerada prova. O ex-presidente também relembrou os tempos de sindicalista.

Na segunda parte, Lula fala sobre perseguição da mídia tradicional brasileira nos últimos anos aos governos petistas.

Na terceira parte, Lula fala sobre a perseguição à sua família. "Eu talvez viva o momento de maior indignação que um ser humano vive. Não é fácil o que sofre a minha família. Não é fácil o que sofrem meus filhos. Não é fácil o que sofreu a Marisa e eu quero dizer que a antecipação da morte da Marisa foi a safadeza e a sacanagem que a imprensa e o Ministério Público fizeram contra ela", disse.

Na quarta parte, Lula afirma que suas bandeiras e sonhos estão com todos os militantes, e que eles serão os responsáveis por levar a revolução adiante.

"Não adianta eles acharem que vão fazer com que eu pare, eu não pararei porque eu não sou um ser humano, sou uma idéia, uma idéia misturada com a ideia de vocês, e eu tenho certeza que companheiros como os sem-terra, o MTST, os companheiros da CUT e do movimento sindical sabem, e esta é uma prova, esta é uma prova, eu vou cumprir o mandado e vocês vão ter de se transformar, cada um de vocês, vocês não vão se chamar Chiquinho, Zezinho, Joãozinho, Albertinho… Todos vocês, daqui pra frente, vão virar Lula e vão andar por este país fazendo o que você tem que fazer, e é todo dia! Todo dia!"

Na quinta, Lula contou que foram feitas propostas para que ele se exilasse, mas afirmou que vai enfrentar aqueles que o acusam injustamente.

Na última parte, Lula garante que vai para Curitiba de cabeça erguida, pronto para os próximos dias de luta. "Vou sair desta maior, mais forte, mais verdadeiro, e inocente, porque eu quero provar que eles é que cometeram um crime, um crime político de perseguir um homem que tem 50 anos de história política, e por isso eu sou muito grato", disse o ex-presidente.

Edição: Juca Guimarães