Coluna

FHC, príncipe dos sociólogos, em ação sempre nefasta

Imagem de perfil do Colunista
FHC se esquece que deve a sua eleição ao apoio que obteve da mídia comercial, um verdadeiro partido político / Tânia Rêgo/ Agência Brasil
Os eleitores repudiam o projeto de partido que se diz social democrata

Então o príncipe dos sociólogos, também ex-presidente da república, declarou que não considera Lula da Silva um preso político. Foi dado ao príncipe um tremendo espaço na mídia comercial, sobretudo depois dele afirmar que considerava o ex-presidente como um político preso. E ao mesmo tempo Cardoso comentou que o fato de Geraldo Alckmin não aparecer bem nas pesquisas, não passando de um digito, não quer dizer nada por enquanto. FHC lembrou que  sua candidatura só deslanchou depois de junho, esquecendo-se deliberadamente de afirmar que deve a sua eleição ao apoio que obteve da mídia comercial, um verdadeiro partido político.

A realidade é que os tempos atuais são distintos do período em que se elegeu pela primeira vez e no segundo mandato. O esquema defendido por FHC vem sendo derrotado nas urnas desde 2002, com o fiasco de José Serra, de Geraldo Alckmin e o hoje réu no Supremo Tribunal Federal (STF), Aécio Neves e a eleição do hoje preso político Luis Inácio Lula da Silva e posteriormente Dilma Rousseff, deposta por um golpe parlamentar, midiático e judicial com o apoio total do PSDB e do próprio príncipe dos sociólogos.  

Ou seja, hoje está mais do que claro qual é o esquema do PSDB, tão defendido pelo príncipe dos sociólogos. E como indicam os números, os eleitores brasileiros repudiam o projeto de partido que se diz social democrata e cujo programa passa pela entrega de mão beijada das empresas nacionais para grupos estrangeiros. A privatização de estatais faz parte do esquema defendido ardorosamente pelos também conhecidos como tucanos.

Quem tiver dúvidas a esse respeito basta dar uma passada nas mídias comerciais, com destaque para as Organizações Globo, para constatar como se dá o jogo que tem o claro objetivo de enganar os incautos.

O Brasil atual ainda se ressente do que acontece em matéria do projeto levado adiante pelo atual governo comandado pelo lesa pátria Michel Temer. Não é a toa que as mais recentes pesquisas indicam a rejeição desse político que é presidente absolutamente através de um tipo de golpe, já acontecido no Paraguai e em Honduras, com o apoio total de governos estadunidenses, sejam eles democratas ou republicanos.

Edição: Brasil de Fato RJ