violência

Jagunços atacam Comuna Urbana do MST e ferem trabalhador com dois tiros

Ataque à tiros aconteceu em Mossoró (RN), na madrugada; cerca de 150 famílias estavam no local

Brasil de Fato | Natal (RN)

,

Ouça a matéria:

A ocupação começou no dia 22 de abril e os sem terra já tinham sido ameaçados pela polícia / MST

A Comuna Urbana organizada pelo MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), localizada em Mossoró, no Rio Grande do Norte, sofreu um ataque por volta das três horas da madrugada. Segundo os sem terra, vários jagunços atiraram contra as moradias, atingindo um dos trabalhadores com dois tiros, um no braço e o outro na coxa. Uma outra pessoa está desaparecida desde o ataque.    

A ocupação ocorreu no último dia 22 e a Comuna conta com cerca de 150 famílias sem-terra e está localizada às margens da BR 304, ao lado da Cerâmica Porcelanatti, sendo uma das ações realizadas no estado pela “Jornada Nacional de Ocupação e por Lula Livre Já!” do MST. Mossoró é a segunda maior cidade do Rio Grande do Norte com aproximadamente 300 mil habitantes.

Segundo Aglainton Fernandes, do MST Mossoró, “Estamos na ocupação urbana desde domingo e não recebemos ainda nenhuma reintegração de posse, mas recebemos intimidações pela polícia militar que ontem pediu para sairmos sem ter nenhuma ordem judicial. Hoje, na madrugada, fomos surpreendidos por tiros, atingindo um dos companheiros com dois disparos que encontra-se bem”.

Em nota, o setor de Direitos Humanos do movimento aponta que “esses ataques fazem parte do avanço da violência, aprofundado pela ruptura democrática, em razão da área ser alvo da especulação imobiliária. Seguimos organizando as famílias, e articulando as organizações em defesa dos direitos humanos e as autoridades competentes para assegurar as famílias”.

 

Edição: Juca Guimarães