Mobilização

Pedreira Prado Lopes, em BH, forma comitê para Congresso do Povo

Moradores da primeira favela da capital mineira participam de proposta política para o Brasil

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,

Ouça a matéria:

"A criação dos comitês é o povo assumindo as rédeas de seu futuro", declara morador da comunidade / Divulgação

"Sonhar mais um sonho impossível. Lutar quando o fácil é ceder". Com a inspiração da poesia de Chico Buarque cantada por Maria Bethânia, na noite de quarta (18), moradores e lideranças comunitárias da Pedreira Prado Lopes, na região Noroeste de Belo Horizonte, iniciaram uma reunião no galpão da Ocupação Pátria Livre. O objetivo foi o planejamento de uma ação atraente à comunidade para formar o comitê local do Congresso do Povo. 

Convidados por lideranças ligadas ao Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras por Direitos (MTD), moradores da Pedreira puderam entender o que é o Congresso do Povo. Segundo Valéria Borges, educadora e integrante do MTD, é a importância de que o povo exerça protagonismo numa democracia.

O basta

“O Congresso do Povo é a gente sair do marasmo e tomar nas nossas mãos o poder que é nosso por direito. Juntar a força de cada um e mostrar que a gente é gente, que a gente pode e é capaz de resistir e mudar tudo de ruim que estão fazendo conosco. Não somos marionetes!”, discursou Valéria.

Éder Luis Quirino é morador da Pedreira desde que nasceu, há 35 anos. Ele é copeiro, agente comunitário local, escritor de rua e agora também é integrante do comitê. “Precisamos trabalhar para que o Congresso do Povo dê certo, que seja efetivo nas ideias de que o povo é que deve levar e escolher a solução de suas demandas, usando seu poder”, afirma. 

Robson da Costa Meira do Fala Pedreira, morador da PPL há 54 anos, acrescenta: “basta de ficar na estação vendo o trem da história passar sem entrar no trem e fazer alguma coisa. A criação dos comitês é o ‘basta’, é o povo assumindo as rédeas de seu futuro”.

Festa popular

O bate-papo resultou na ideia de fazer uma grande festa para a comunidade no dia 28 de abril, com apresentações de artistas locais, panfletagens criativas, embelezamento do galpão, comes e bebes. Os participantes saíram com a tarefa de multiplicar o potencial desse primeiro encontro, trazendo mais participantes para as próximas atividades. O Congresso do Povo acontece de maio a julho.

Edição: Joana Tavares