Seleção Brasileira

PAPO ESPORTIVO | Quando futebol e o chorinho se encontram nos gramados

Pixinguinha compôs uma das suas obras mais conhecidas inspirado numa vitória da Seleção Brasileira

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

Pixinguinha é autor de grandes sucessos como "Rosa", "Carinhoso" e "1 X 0" / acervo IMS

O dia 23 de abril é uma data especial para a música brasileira. Foi nesse dia, no ano de 1897, que nasceu o grande Pixinguinha, autor de sucessos como "Rosa" e "Carinhoso". Mas o que pouca gente sabe é que Pixinguinha compôs uma das suas principais obras (junto com Benedito Lacerda) inspirado num jogo de futebol. O choro "1 X 0" surgiu depois da vitória da Seleção Brasileira na final do Campeonato Sul-americano no dia 25 de maio de 1919, diante do Uruguai.

Para se ter uma ideia do tamanho daquela conquista, o título da competição que deu origem à conhecida Copa América foi o início de uma trajetória de conquistas e glórias que viriam nas décadas seguintes. A nossa seleção era comandada por nomes com Marcos Carneiro de Mendonça, Neco e Arthur Friedenreich, primeiro grande ídolo do nosso futebol. O escrete brasileiro venceu a Argentina e o Chile e empatou com o Uruguai. O título foi decidido num jogo-desempate contra os uruguaios no Estádio das Laranjeiras completamente lotado. O placar? Um a zero, gol de Friedenreich, aos 122 minutos de jogo.

Pixinguinha, assim como muitos outros torcedores, acompanhava o jogo perto das redações dos jornais da época abastecidos por informações que vinham por telégrafo. E depois da explosão do gol e da festa do título, o choro "1 X 0" se tornaria uma das suas composições mais conhecidas. Viva Pixinguinha! Viva o choro! Viva o futebol!

A DURA MISSÃO DO VASCO

Enquanto Fluminense e Botafogo têm a semana livre para treinar, o Vasco encara o Racing em São Januário pela Copa Libertadores da América. A missão é complicadíssima. Além de vencer a equipe argentina dentro de casa, os comandados de Zé Ricardo já não dependem de si para se classificar para a fase seguinte por conta da goleada sofrida na semana passada. Uma vitória em casa não é impossível ainda mais com a presença da torcida na Colina Histórica. Mas o Vasco terá que jogar muito mais do que vem jogando para se superar e superar um Racing perigosíssimo no ataque. 

UM CONSTRANGIMENTO CHAMADO FLAMENGO

Bom, o Flamengo teve uma das atuações mais constrangedoras e irritantes do ano. Nem mesmo o erro absurdo do árbitro (que encerrou o jogo num momento em que o Fla partia para o ataque) exime Maurício Barbieri da culpa pela bagunça que foi o time na noite desta quarta-feira. O Santa Fe só não venceu a partida porque também peca demais em coisas básicas do futebol. A equipe colombiana não conseguia trocar três passes seguidos e só criou chances porque o Flamengo permitiu. Apesar de tudo, o Mais Querido do Brasil ainda lidera seu grupo na Libertadores e só depende de suas forças para se classificar. Mas é preciso melhorar muito. Técnica e taticamente. Falta tudo. Desde esquema tático até um mínimo de disposição.

Grande abraço e até a próxima!

Edição: Mariana Pitasse