MANIFESTAÇÃO

Primeiro de maio tem protestos na capital e no interior do estado do Rio

Manifestantes protestaram contra o retrocesso na legislação trabalhista e a prisão do ex-presidente Lula

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

No Rio, a manifestação saiu da Praça XV, passando pelo Boulevard Olímpico até a Praça Mauá, também na região central da cidade / Mariana Pitasse

Neste 1º de maio, as centrais sindicais e os movimentos populares realizaram atos em diversos pontos do estado do Rio de Janeiro, principalmente, contra o retrocesso na legislação trabalhista e a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Um deles, organizado pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), aconteceu no centro da capital. A concentração começou por volta das 14h, na Praça XV, e o ato teve início em seguida com uma apresentação da Companhia Emergência Teatral em crítica a seletividade da justiça brasileira. O protesto seguiu em marcha pelo Boulevard Olímpico até a Praça Mauá, também na região central da cidade.

Para Maria das Neves, de 55 anos, que esteve presente no protesto, não é momento de ficar de braços cruzados. "Se ficarmos em casa, vendo televisão, nada vai mudar. Temos que lutar pelos nossos direitos de trabalhadores, que estão sendo retirados de nós. Também pela liberdade do Lula, pela nossa democracia. Temos que derrubar essa elite que está aí contra os pobres” afirmou.

O ato foi um pouco diferente dos protestos tradicionais, durante o trajeto os manifestantes foram conduzidos pelo Bloco da Democracia, ao som de um samba próprio. A letra do samba dizia: “querem calar o voto do povo, nosso voto não vão amordaçar, vamos gritar: ‘quero de novo Lula lá’”.

A ambulante Maria Alice Lopes, de 32 anos, decidiu montar sua barraquinha na Praça XV, no centro do Rio, para trabalhar enquanto acompanhou o ato.

"Meu trabalho permite que eu possa estar onde eu quero. Hoje quero me manifestar e trabalhar ao mesmo tempo. É importante para mim estar aqui hoje. É muita injustiça que o trabalhador está sofrendo. Protesto contra todas as barbaridades que estão no país. Temos que mudar isso", acrescentou.

Outro protesto aconteceu na manhã desta terça-feira (1), na Quinta da Boa Vista, em São Cristóvão, organizado pela Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB) e a Frente Brasil Popular. Também foi realizado um ato, na parte da tarde, no Complexo do Alemão, na zona norte do Rio.

Protestos no estado

No interior do estado, as mobilizações tiveram início na última segunda-feira (30). Diversas categorias fizeram protestos em Campos dos Goytacazes, no norte Fluminense. Entre as categorias mobilizadas estavam bancários, urbanitários, petroleiros, estudantes e trabalhadores da construção civil.

Já durante o 1° de maio, os petroleiros fizeram protestos nos aeroportos onde os trabalhadores embarcam para as plataformas. Os aeroportos ficam Campos, Macaé, Farol de São Tomé e Cabo Frio. Também aconteceu um ato unificado de diversas categorias na cidade de Angra dos Reis, no sul do estado, o ato foi chamado de Grito da Resistência.

Edição: Vivian Virissimo