NA COZINHA

Conheça as diversas variedades de farinha disponíveis na Feira da Reforma Agrária

Produtores do Pará e de Goiás comercializam, ao menos, cinco tipos diferentes de farinha de mandioca

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Os diversos tipos de farinha de mandioca presentes na Feira da Reforma Agrária / Rafael Stédile

Você já ouviu falar de farinha puba? A 3ª Feira Nacional da Reforma Agrária, que acontece até domingo (6) no Parque Água Branca, em São Paulo, reúne diferentes variedades desse produto tão comum na cozinha brasileira: a farinha.

Em um passeio pelos espaços do Pará e de Goiás é possível descobrir, ao menos, cinco tipos de farinha. Entre elas, a puba, massa extraída da mandioca fermentada na água, usada na produção de receitas típicas das regiões Centro-Oeste e Nordeste.

“Para fazer a farinha de puba, a gente coloca a mandioca para curtir, de molho na água, e depois torra. A puba é a mandioca curtida, mas sem torrar. Usamos em bolo, mingau”, explica Geneci Coelho, 53, que trouxe as farinhas do acampamento Dom Tomás, de Formosa (GO), para vender na feira.

No espaço do Pará, é possível encontrar, ainda, outros três tipos de farinha: a lavada, também chamada de farinha d’água, a branca, a amanteigada e a de tapioca, famosa por ser usada para comer com açaí.

“A farinha d’água é a de mandioca que fica de molho na água por três dias. A branca, que não fica de molho, e a amanteigada, que leva manteiga na hora da torra”, conta Cristiano Silva Soares, 25 anos, do assentamento Palmares 2, de Paraupebas (PA).

O preço médio do quilo é de R$ 8,00.

Edição: Diego Sartorato