MOBILIZAÇÃO

Congresso do Povo em Pernambuco debate soluções alternativas para problemas sociais

Iniciativa da Frente Brasil Popular movimenta grupos temáticos em todo o estado

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Além dos Congressos Municipais estão acontecendo atividades temáticas nos bairros e comunidades rurais / Frente Brasil Popular

Quais são os problemas do povo brasileiro? Quem causa esses problemas? Como resolvê-los? São com essas problemáticas que nasce o Congresso do Povo Brasileiro, proposto pela Frente Brasil Popular. A ideia é que ele se torne um grande processo que desafie a população a identificar as saídas coletivas para os problemas coletivos e a se organizar para construir essas alternativas.

No estado de Pernambuco as organizações que compõem a Frente Brasil Popular (FBP) têm feito um esforço grande de mobilização para o Congresso do Povo. Para isso, tem sido realizadas etapas municipais, mas também temáticas em todo o estado.

“Estamos fazendo um trabalho de mobilização das bases, conseguindo organizar um processo com o que tem de melhor e mais profundo da luta política e das histórias dos bairros. Discutir o projeto político dentro desses espaços que já têm historicamente muita resistência e luta tem sido bastante importante, nesta conjuntura em que estamos”, ressalta Gleisa Campigotto, da secretaria operativa da FBP PE.

Além dos Congressos municipais estão acontecendo atividades temáticas, como foi o bairro da Várzea, Região Metropolitana do Recife, no último domingo (06), com o tema “Comunicação, Cultura e Esportes”.

No dia anterior (05), aconteceu o Congresso do Povo do bairro olindense de Peixinhos, que reuniu cerca de 80 pessoas para debater e pensar as problemáticas do bairro. Em Ouricuri, no Sertão do Araripe do estado, cidade já próxima à divisa com o Ceará, artistas locais fazem atividades semanais, todas as quartas-feiras, em Praça Pública, com apresentações, atividades culturas, em prol da organização popular, por Lula Livre e também uma resistência política cultural nesse processo de retomada da democracia.

Vários comitês temáticos do Congresso do Povo têm tido atividades frequentes. Como o Comitê de Negritude, que realizou encontro para discutir os dois anos do golpe e as consequências para a população negra, na faculdade de direito do Recife.

Agenda

As atividades continuam acontecendo, em formato de reuniões de articulação, plenárias de formação de formadores e os Congressos propriamente ditos. As próximas agendas municipais previstas que são em Olinda (19/05), Recife (26/05), Petrolândia (26/05), Petrolina (27/05), São Bento do Una (29/05), Caruaru (02/06), e Palmares (26/05). São congressos marcados na Região Metropolitana, no Agreste e Sertão do estado.

O encontro estadual, que está marcado para 09 de junho, ainda não tem definido em qual município será realizado. “A nossa previsão é que o Congresso do Povo de Pernambuco tenha cerca de cinco mil militantes, lutadores e lutadoras do povo de todas as regiões”, conta Gleisa Campigotto

Neste sábado (12), acontecem os Congressos do Povo em Rio Doce e Ouro Preto, ambos em Olinda. O de Rio Doce será pela manhã, às 8h, no Conjunto Habitacional Carlos Lamarca e o de Ouro Preto será na parte da tarde, a partir das 14h, na Associação dos Amigos e Moradores de Jatobá. O Comitê LGBT, fará o lançamento do livro “Hasteemos a bandeira colorida – Diversidade de gênero e de sexualidade no Brasil”, edição da expressão popular, organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e pela Consulta Popular, dia 15 de maio, às 19h, na Casa Cultural Vila Ritinha.

Na próxima quarta-feira (16), acontece o Congresso das Mulheres do Povo, organizado pelo Comitê de Mulheres, no Movimento dos Trabalhadores Cristãos (MTC), às 18h. No mesmo dia, na FioCruz/CCS (UFPE), acontece a Plenária da saúde rumo ao congresso do Povo. Na quinta-feira (17), vai ter a roda de conversa “sujeitos coletivos e política de saúde mental”, no CCSA, na UFEPE. Nesta sexta (11), terá comissão estadual para definir novas agendas e atividades. Todas essas atividades, rumo ao Congresso do Povo Brasileiro nacional em agosto, no Rio de Janeiro.

Edição: Catarina de Angola