Notícias

Associações de Rondônia denunciam invasões de madeireiros em território indígena

Entidades pedem mais estrutura para Coordenação Regional da FUNAI e mais fiscalização do IBAMA, do ICMBio e da polícia

Ouça a matéria:

O Ministério Público Federal discute, em audiência pública, o direito à demarcação de terras indígenas. / Valter Campanato/Agência Brasil

 Em Rondônia, Indígenas denunciam ação de madeireiros em território do povo Uru-Eu-Wau-Wau e pedem mais fiscalização.

Uma nota pública da Associação de Defesa Etnoambiental Kanindé e da Associação do Povo Indígena Uru-eu-Wau-Wau afirma que os direitos desses povos estão sendo violados.

Segundo as entidades, são constantes as invasões de madeireiros, grileiros e garimpeiros nos territórios indígenas.

As associações pedem mais estrutura para Coordenação Regional da FUNAI em Ji-Paraná. Cobram ainda mais fiscalização e apoio do IBAMA, ICMBio e autoridades policiais.

Na última semana, indígenas queimaram um dos tratores dos madeireiros. Eles afirmam que a atitude radical ocorreu porque estão cansados de esperar por providências para a retirada de aproveitadores do território.

De acordo com a Funai, a Coordenação Regional recebeu a denúncia de que madeireiros estariam entrando na aldeia Alto Jaru para retirar madeira cerrada da Terra Indígena. Dois servidores foram designados para acompanhar a situação. Com apoio do Batalhão da Polícia Militar Ambiental de Ji-Paraná, o grupo se deslocou para a Terra Indígena, mas os madeireiros já haviam se retirado da área.

Os indígenas destacam que a Terra Indígena Uru-eu-wau-wau e o Parque Nacional de Pacaas Novos são responsáveis pela maior biodiversidade de Rondônia. Nascentes dos 17 principais rios do Estado estão na região. Lá também vivem três etnias indígenas e outros três grupos de povos isolados, ainda sem contato com a sociedade.

O Ibama não respondeu ao pedido de informações da nossa reportagem sobre as ações de fiscalização na área.

Edição: Juca Guimarães