RESISTÊNCIA

Seminário discute violência institucional, memória e resistência, no Rio de Janeiro

Evento integra atividades do mês de luta dos familiares de vítimas da violência do estado

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
O seminário “Nossas vidas importam: ativismo, violência institucional e direitos humanos” acontece nos dias 29 e 30 na UFF em Niterói / Divulgação

Como parte das atividades que marcam o mês de luta dos familiares de vítimas da violência do estado, o seminário “Nossas vidas importam: ativismo, violência institucional e direitos humanos” acontece na próxima terça-feira (29) e quarta-feira (30) na Universidade Federal Fluminense (UFF), em Niterói, no Rio de Janeiro. O objetivo do evento é colocar em diálogo experiências, trajetórias, iniciativas e pesquisas relacionadas a situações de violência institucional e direitos humanos.

Durante os dois dias de seminário, ativistas de direitos humanos, vítimas e familiares de vítimas de violência do estado, midiativistas, organizações não governamentais e pesquisadores do Brasil e da Argentina discutirão temas como memória, resistência e a demanda por justiça, como explica Lucía Eilbaum, professora do departamento de Antropologia da UFF e uma das organizadoras do evento.

“A gente pensou em reunir pessoas que não teriam apenas o perfil acadêmico, mas uma experiência de luta em relação aos temas da violência do estado, violência policial, a demanda por memória e justiça. Então, convidamos alguns nomes de referência na luta, tanto no Rio de Janeiro, quanto em Buenos Aires e Rosário, na Argentina. No Rio, também fizemos uma reunião prévia com convidados para que sugerissem e indicassem outros nomes para integrar a programação”, afirma.

Entre os convidados estão Ana Paula Oliveira, da Rede Nacional de Mães e Familiares de Vítimas do Terrorismo do Estado, Raquel Wittis, da Comisión de Derechos Humanos Zona Norte, da Argentina, Buba Aguiar, do Fala AKARI, e Monique Cruz, da Justiça Global.

 “A ideia é partir das falas dos convidados para gerar o debate com o público. A gente também vai expor fotografias, livros e outros materiais que os participantes vão trazer. É importante lembrar que após a execução da Marielle, o seminário e sua discussão se tornaram ainda mais urgentes”, acrescenta Lucía.

O seminário, que acontece no auditório do Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da UFF (ICHF/UFF), é organizado pelo Grupo de Pesquisas em Antropologia do Direito e Moralidades (GEPADIM/UFF), em parceria com a Comissão de Direitos Humanos da Associação Brasileira de Antropologia (CDH/ABA) e o Instituto de Estudos Comparados em Administração de Conflitos (INCT-InEAC/UFF). 

O auditório do Instituto de Ciências Humanas e Filosofia da UFF (ICHF/UFF) é localizado no Bloco P do Campus Gragoatá da UFF, em Niterói, no Rio de Janeiro. O evento será realizado em português e espanhol e terá tradução simultânea. A programação completa pode ser acessada na página do Facebook do evento.

Edição: Brasil de Fato RJ