SOLIDARIEDADE

Em visita à Venezuela, Díaz-Canel encontra Maduro e inaugura nova era de cooperação

Presidente cubano saudou a vitória de Maduro nas eleições; mandatários firmaram alianças na saúde, indústria e mineração

Brasil de Fato | Caracas (Venezuela)

,

Ouça a matéria:

Entre os acordos estão os novos projetos na área industrial, agrícola, mineira, financeira e turística. / Marcos Salgado

Com um abraço apertado que sugeria um reencontro entre velhos amigos. Assim foi recebido o chefe de Estado de Cuba, Miguel Mario Díaz-Canel, ao chegar no Palácio Presidencial de Miraflores pelo presidente venezuelano, Nicolás Maduro, nessa quinta-feira (30). Saudando a irmandade entre a revoluções bolivariana e cubana, os mandatários aproveitaram o encontro para reforçar a cooperação entre os países em áreas estratégicas. 

As primeiras palavras de Díaz-Canel em território venezuelano, ainda no Aeroporto Internacional Simón Bolívar, foram dedicadas a felicitar Maduro, pela vitória eleitoral do último dia 20 de maio. “Trago uma mensagem fraterna e solidária do general do exército cubano Raúl Castro, primeiro-secretário do Partido Comunista de Cuba, e do povo cubano para o povo bolivariano, venezuelano, e também para o presidente Nicolás Maduro. Todo o nosso reconhecimento e felicitação pela vitória contundente nas eleições do dia 20 de maio”, declarou.

O presidente cubano cumpriu uma extensa agenda que incluiu uma visita ao Quartel da Montanha, onde fica o mausoléu com os restos mortais do ex-presidente Hugo Chávez. Ele também prestou homenagem ao herói nacional Simon Bolívar no Panteão Nacional, fez um discurso na Assembleia Nacional Constituinte, visitou um centro médico atendido por profissionais cubanos e participou de uma reunião privada com Nicolás Maduro. Na pauta estavam todos os projetos de cooperação entre os dois países.

Mandatários das nações reafirmaram compromissos de cooperação em áreas estratégicas. (Foto: Marcos Salgado)

 

Solidariedade internacional

“Revisamos todos os projetos de cooperação e assumimos duas linhas de trabalho. A primeira é a renovação e consolidação de todos os projetos e missões em Cuba e Venezuela, isso inclui o acordo energético assinado pelos comandantes Hugo Chávez e Fidel Castro, em outubro do ano 2000”, afirmou o presidente Maduro.

Além disso, a renovação dos acordos prevê a ampliação da cooperação na área da saúde. Atualmente, cerca de 22 mil médicos cubanos fazem parte do programa Bairro Adentro, que inclui atenção básica e especializada. Também será renovada a Missão Milagre, um programa social de saúde que realiza cirurgias e tratamento para cura da cegueira.

Na segunda linha de acordos estão os novos projetos na área industrial, agrícola, mineira, financeira e turística. Isso inclui um plano de 10 anos, segundo informou o presidente venezuelano. O objetivo é desenvolver “uma base econômica sólida entre Cuba, Venezuela e a Alba [A Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América — Tratado de Comércio dos Povos]”, disse Maduro. “O desenvolvimento econômico é o desafio das duas revoluções: a cubana e a bolivariana”, afirmou o mandatário.

"Estamos aqui para ratificar nosso apoio à Revolução Bolivariana", disse Díaz-Canel. (Foto: Marcos Salgado)

Revoluções irmãs

Ao final de sua visita, durante um encontro com médicos cubanos, o presidente Díaz-Canal fez um balanço sobre a jornada de trabalho em território venezuelano. “Estamos aqui para ratificar que nosso apoio à Revolução Bolivariana é incondicional, é invariável”, destacou.

Ele também contou como foi a reunião realizada com o presidente venezuelano. “Pela tarde tivemos uma reunião com o presidente Maduro e com direção da Revolução Bolivariana. Falamos sobre os problemas do mundo, a situação da América Latina e as relações bilaterais entre Cuba e Venezuela. O presidente Maduro propôs relançar todos os programas de cooperação, que alcançou tantos resultados positivos e melhorou indicadores sociais, beneficiando o povo da Venezuela. Fizemos uma análise crítica, também dos erros cometidos e das insatisfações, assim como das potencialidades que podemos ter”, disse Díaz-Canel.

O presidente Cuba afirmou que sua visita à Venezuela foi uma forma de retribuir o gesto de Maduro, que foi o primeiro presidente a visitar Cuba quanto Miguel Díaz-Canel foi eleito presidente do Conselho de Estado e de Ministros de Cuba, no dia 19 de abril.

“A primeira chamada de alento, de compromisso que recebi foi do presidente Maduro, em nome do governo bolivariano, da Revolução Bolivariana e Chavista, e também em nome do povo venezuelano. Foi o primeiro amigo que visitou Cuba, dois dias depois da eleição. Naquela ocasião lhe disse que nos sentimos apoiados e que aquele era um gesto muito íntimo entre duas revoluções irmãs”, expressou Díaz-Canel.

Os dois presidentes representam a nova geração de um processo político e revolucionário que começou com os comandantes Fidel Castro, em Cuba, e Hugo Chávez, na Venezuela. Além de seguir os passos de seus antecessores, prometem vida longa à cooperação econômica e social iniciada há 19 anos entre os dois países.

Edição: Pedro Ribeiro Nogueira