PRECONCEITO

Ato de racismo nos Jogos Universitários gera debate sobre discriminação na PUC-Rio

Alunos da PUC praticaram pelo menos 3 atos racistas contra a UCP, UERJ e UFF durante os jogos jurídicos

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

Coletivos Negros fazem intervenção no Centro Acadêmico de Direito na PUC-Rio / Mariana Carlou

Casos de racismo praticados por alunos da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio) durante os jogos jurídicos estaduais que aconteceram em Petrópolis no fim de semana geraram uma grande repercussão dentro e fora da universidade. 

O Coletivo Enegrecer, que reúne alunas e alunos negros de diversas universidades, e o coletivo Nuvem Negra, coletivo de negritude da PUC, fizeram dois atos durante a terça-feira (5), colando cartazes denunciando o racismo que enfrentam dentro da instituição, e mais tarde, um ato no Pilotis, umas das áreas de convivência da universidade. 

Para eles o que aconteceu não foi surpresa. “Infelizmente esse tipo de coisa é muito recorrente, não só nos jogos jurídicos, mas no nosso dia a dia. Nas aulas, no bandejão, etc”, contou o estudante Walmyr Junior, aluno de Teologia da PUC-Rio e integrante do coletivo Enegrecer. 

A universidade já montou uma comissão disciplinar formada por professores para apurar o caso e identificar responsáveis. Os coletivos negros reivindicam uma representação de alunos na comissão. “Nós queremos acompanhar o trabalho da comissão e ajudar a garantir que ela terá resultados”, explicou Walmyr. Os grupos também pedem, junto ao coletivo “Jogos Sem Racismo”, medidas reparatórias dentro da instituição, como a ampliação de políticas que combatam o racismo, como cursos, palestras, campanhas. 

ENTENDA O CASO

Alunos da Atlética de Direito da PUC-Rio são acusados de imitar macacos em um jogo contra a atlética da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), chamar uma atleta da Universidade Federal Fluminense (UFF) de macaca e arremessar uma casca de banana em direção a um aluno negro da Universidade Católica de Petrópolis (UCP). Por essas atitudes, a PUC-Rio foi condenada pela Liga Estadual a perda do título de Campeã Geral dos Jogos, suspensão por um ano das atividades da Liga e a não participação dos jogos do ano que vem.

Edição: Jaqueline Deister