Copa 2018

Cataratas do Iguaçu, passistas e Corcovado: o Brasil aos olhos das crianças russas

Seleções que jogarão em Rostov foram homenageadas por estudantes de escolas públicas da região

Brasil de Fato | Rostov-On-Don (Rússia)

,

Ouça a matéria:

Veronica Budyaieva, de 12 anos, reuniu os três elementos em um mesmo desenho / Reprodução

Escolas públicas da região de Rostov, uma das sedes da Copa do Mundo de Futebol na Rússia, decidiram homenagear os visitantes com um projeto artístico. Crianças e adolescentes de quatro a 16 anos foram estimulados a desenhar imagens que representassem as seleções que jogarão na cidade durante a fase de grupos.

Além de dar as boas-vindas aos turistas, a ideia era refletir sobre os estereótipos de cada país. Os melhores desenhos foram selecionados, ampliados e expostos em parques da região central de Rostov, a cidade fica a 980 km de Moscou.

O Brasil é um dos oito países retratados, ao lado de Islândia, Suíça, Arábia Saudita, Croácia, Uruguai, México e Coreia do Sul.

Os desenhos escolhidos para homenagear o Brasil se limitaram a três elementos: o carnaval, as Cataratas do Iguaçu e a imagem do Corcovado, com o Cristo Redentor no alto da cidade do Rio de Janeiro.

Ekaterina Kovalenko, de 16 anos, apostou em uma passista com as cores da bandeira brasileira. 

Vika Konovalova, de 6 anos, desenhou as Cataratas do Iguaçu, e Anna Sarskician, de 11, pintou a vista aérea do Rio de Janeiro do topo do Corcovado.

Aos 12 anos, a estudante Veronica Budyaieva foi a única a reunir os três elementos mais recorrentes em um mesmo desenho.

Dos oito países retratados pelas crianças de Rostov, o México é o que possui as referências mais diversas. Mesmo assim, é difícil escapar dos estereótipos. Sombreros, pirâmides maias, o mar do Caribe, instrumentos musicais e as famosas pimentas mexicanas estão no imaginário das crianças russas, e aparecem em quase todos os desenhos.

A Seleção Brasileira estreia na Arena Rostov no dia 17 de junho contra a Suíça. Acompanhe a cobertura completa da Copa do Mundo na página do Brasil de Fato.

Edição: Juca Guimarães