Protesto

MST ocupa fazenda de Eike Batista em Minas Gerais

Mobilização dos sem-terra em Minas Gerais comemora 30 anos de luta

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,

Ouça a matéria:

Eike Batista possui mais de 10 mil hectares de terra no entorno de Belo Horizonte / MST-MG

Na madrugada desta terça-feira, dia 3, cerca de 400 famílias do Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST) ocuparam mais uma área da empresa em processo de falência, MMX, pertencente ao especulador corrupto Eike Batista. A fazenda está localizada no município de Igarapé-MG. A ação inicia a campanha de memória do movimento, “30 anos de MST em Minas Gerais, semeando e alimentando a ousadia”.

“É na prática da ocupação que demonstramos nosso compromisso com a resistência contra o golpe, com a luta pela terra e contra as elites que entregam nossos bens naturais de presente ao capital internacional”, explica Mirinha Muniz, da Direção Estadual do MST.

Segundo o MST, Eike Batista possui mais de 10 mil hectares de terra no entorno de Belo Horizonte. “Aqui temos o exemplo dos danos causados por essa empresa falida: a mineração ao lado da água, degradando o meio ambiente, enquanto a terra que poderia ser produtiva está abandonada”, completa a dirigente.

Após três décadas organizando a luta pela terra, pela reforma agrária e pela transformação social, o MST em Minas Gerais possui 42 assentamentos, quatro cooperativas de produção e comercialização, 41 acampamentos e três mil famílias acampadas.

“Nossa trajetória é vitoriosa. Diante da conjuntura conturbada que vivemos no país, achamos que este é o momento de resgatar as nossas memórias, entender o passado para apontar os nossos próximos passos. E não temos dúvida de que nosso futuro é de luta”, afirma Wagner Vieira, da Direção Estadual do MST. 

No dia 02 de julho de 1999 o MST realizava a primeira ocupação na região Metropolitana de Minas Gerais, no município de Betim. Atualmente o assentamento, que leva a data de sua ocupação como nome, possui 63 famílias e uma vasta produção de hortaliças agroecológicas, frutas, mandioca, milho, galinha caipira, entre outros. A campanha dos 30 anos segue com ações nas 9 regionais onde o MST está organizado. A ocupação também é uma homenagem ao militante do movimento José Nunes, o Zequinha, que faleceu no dia 22 de junho.

 

Edição: Juca Guimarães