Curitiba

João Pedro Stedile e Rui Falcão visitam Lula em Curitiba

Coordenador nacional do MST e ex-presidente do PT ressaltaram que o ex-presidente "não se abala"

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Stedile e Falcão em frente à Superintendência da PF em Curitiba / Foto: Ricardo Stuckert

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), detido na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba há 90 dias, recebeu, nesta quinta-feira (5), as visitas de João Pedro Stedile, dirigente nacional do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), e de Rui Falcão, ex-presidente do Partido dos Trabalhadores.

Em entrevista coletiva, ambos reafirmaram a determinação de Lula de ser candidato à presidência no pleito de 2018 e manifestaram seu entusiasmo com a candidatura. Stedile ressaltou que a visita ao ex-presidente é sempre muito emotiva.

“Apesar da terrível injustiça que está sendo praticada contra o presidente, sobretudo essas manobras dos ministros do STF [Supremo Tribunal Federal], ele não só tem disposição de ser candidato como o povo quer que ele seja candidato e centenas de advogados garantem que ele pode ser candidato”, declarou Rui Falcão.

Assista a íntegra da coletiva:

Ambos comentaram que Lula reiterou sua preocupação com a situação das crianças brasileiras separadas dos pais nos EUA e se declara envergonhado com a situação.

Outro ponto reafirmado por Lula foi a preocupação com a soberania nacional. “Há uma ingerência cada vez maior das empresas estrangeiras em manipular o governo golpista”, afirmou Stedile. Lula se disse indignado com o desmonte que está havendo na economia do país, “Isso se revela nos dados, só a indústria caiu 10% no mês de junho”, pontuou o coordenador do MST.

Calendário de lutas

Stedile afirmou ainda que é obrigação da militância recolher assinaturas para um abaixo-assinado a ser encaminhado à presidenta do STF, Carmen Lúcia, com o objetivo de colocar em votação no Supremo a Ação Direta de Constitucionalidade (ADC) que pode garantir a liberdade de Lula.

O líder campesino conclama a todos e todas para que, no dia 25 de julho, sejam feitas mobilizações nacionais de coleta de assinaturas. Além disso, será realizada uma marcha das cidades satélites até o centro de Brasília para o registro da candidatura de Lula, no dia 15 de agosto.

Edição: Diego Sartorato