NA GERAL

Felipe e Priscila são o Brasil no Pentatlo

Herdeiros de Yane Marques, pernambucanos ainda não conseguem repetir feitos da medalhista olímpica

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Priscila Oliveira ficou acima de competidoras australianas e canadenses / UIPM

Nos últimos dias 30 de junho e 1º de julho os pernambucanos Felipe Nascimento e Priscila Oliveira representaram o Brasil no Open de Pentatlo Moderno, realizado na Alemanha. O torneio reuniu 34 mulheres e 40 homens, com poucos competidores de fora do continente europeu. Por coincidência, ambos ficaram em 22ª colocação na tabela final.

Entre os homens de fora da Europa, a competição contou ainda com um mexicano, dois egípcios e mais um brasileiro, William Muinhos. O pernambucano se saiu melhor que todos eles. Já entre as mulheres, a competição teve uma australiada e uma canadense, ambas abaixo de Priscila Oliveira na classificação.

Os pernambucanos, apesar de integrarem a “elite” de competidores brasileiros e sulamericanos no pentatlo, ainda não conseguiram resultados expressivos como os da conterrânea Yane Marques, que tem o histórico de um bronze olímpico (Londres 2012); além de uma prata (2013) e um bronze (2015) no Mundial de Pentatlo; dois ouros (2007 e 2015) e uma prata (2011) em Jogos Panamericanos. Mas em 2019 tem Pan em Lima, Peru, com grandes chances de medalha para Felipe e Priscila.

Edição: Monyse Ravenna