MEIO AMBIENTE

ONG dá mudas de plantas em troca de eletrônicos sem utilidade

Campanha do Centro Sabiá visa dar destino correto a resíduos eletrônicos

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
As mudas entregues são produzidas por famílias agricultoras assessoradas pelo Sabiá no sertão, agreste e zona da mata de Pernambuco. / Comunicação MST

O avanço tecnológico em ritmo acelerado tem tornado produtos obsoletos num curto espaço de tempo. O fator, somado ao alto consumo desses produtos por parte da população, tem elevado ano após ano o volume de resíduos eletrônicos descartados. Nesse cenário, o Brasil é um dos países que mais produz lixo deste tipo - entre os países da América, ficamos atrás apenas dos Estados Unidos. Para ajudar a dar o destino correto a esse resíduo, a organização civil Centro Sabiá realiza, na próxima quarta-feira (25), no Pátio de São Pedro, a campanha “Você Muda com Mudas”, dando mudas de plantas em troca dos resíduos eletrônicos, sugerindo que a população “se conecte a natureza”.

Só no ano de 2016 o Brasil produziu 1,5 milhão de toneladas, segundo dados do relatório Global E-waste Monitor 2017, produzido pela Universidade das Nações Unidas (UNU), com a União Internacional de Telecomunicações (ITU) e a Associação Internacional de Resíduos Sólidos (ISWA). No mundo, são mais de 40 milhões de toneladas de lixo eletrônico produzidos anualmente. No entanto, as informações sobre o descarte desses materiais ainda são poucas, assim como políticas que consigam dar conta do grande volume. “O descarte errado desses materiais pode, muitas vezes, causar problemas ao meio ambiente. No dia da campanha as pessoas ganharão mudas de planta enquanto doam esse material, que será destinado para a reciclagem. Ou seja, todo mundo sai ganhando”, explica Carlos Magno Morais, coordenador técnico-pedagógico do Centro Sabiá.

A atividade é realizada das 8h às 17h, em parceria com os Trapeiros de Emaús, associação que atua há 22 anos em Recife com a proposta de reutilizar o que seria descartado pela sociedade. Eles testam os equipamentos recebidos, consertam ou desmontam e utilizam as peças em outros equipamentos. O grupo realiza um bazar duas vezes na semana em sua sede, que fica no bairro de Dois Unidos, Recife. Com o recurso, os Trapeiros de Emaús também oferecem cursos profissionalizantes de maneira gratuita.

Já as mudas entregues são produzidas por famílias agricultoras assessoradas pelo Sabiá nas três regiões do estado: Mata, Agreste e Sertão. Serão mudas de ervas medicinais, tempero, ornamentais ou até frutíferas arbustivas. O Centro Sabiá é uma organização que há 25 anos atua em Pernambuco, na promoção da agroecologia e da agricultura familiar, fomentando iniciativas de implantação de Sistemas Agroflorestais, acesso à água no Semiárido, segurança alimentar e na promoção dos direitos da população rural, em especial as juventudes e mulheres.

A campanha de troca de lixo eletrônico por mudas é parte da ação “Ocupe Campo e Cidade – Não quero mais a fome no meu País!”, um dia de atividades realizado pelo em comemoração aos 25 anos do Centro Sabiá, mas alertando para o cenário de crescimento do número de pessoas em situação de extrema pobreza no Brasil.

As atividades do dia de ação também são no próximo dia 25 de julho, no Pátio de São Pedro, com exposição de alimentos agroecológicos, exposição de fotografias, rodas de conversa, intervenções artísticas e culturais, além de um show à noite, com atrações a confirmar. Toda programação é gratuita e aberta ao público.

Edição: Vinícius Sobreira