Justiça Eleitoral

TSE nega pedido do MBL para tirar Lula das eleições

Rosa Weber, vice-presidente do Tribunal, negou ação apresentada em nome de Kim Kataguiri e Rubens Nunes

Leer en español | Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Candidaturas dos presidenciáveis podem ser protocoladas até 15 de agosto / Foto: Ricardo Stuckert

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) arquivou, na noite desta quarta-feira (18), pedido de "inelegibilidade imediata" contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A ação foi movida pela comunidade online Movimento Brasil Livre (MBL).

A ação foi apresentada em nome de Kim Kataguiri e Rubens Nunes, integrantes do grupo, e pedia uma liminar para "declarar desde já a incontroversa inelegibilidade" com base na Lei da Ficha Limpa. Lula está preso desde abril na Polícia Federal de Curitiba após ter sido condenado pelo juiz de primeira instância Sérgio Moro pelo caso do triplex no Guarujá. 

De plantão no TSE, Rosa Weber negou o pedido e sustentou que ele foi “prematuramente formulado” já que ainda não houve o registro das candidaturas, com prazo final até 15 de agosto.

A ministra ressaltou ainda que Lula ainda não foi escolhido em convenção partidária e, portanto, não teria como analisar o pedido do MBL. Com base nesses argumentos, Weber decidiu extinguir o processo sem julgá-lo no mérito.

Edição: Diego Sartorato