inédito

Brasília sedia primeiro Encontro Nacional das Crianças Sem Terrinha

Mais de mil crianças devem participar de evento que ocorre entre os dias 23 e 26 de julho

Brasil de Fato | Brasília (DF)

,
Registro de uma das etapas estaduais em preparação para o primeiro Encontro Nacional / MST/Divulgação

Entre os dias 23 e 26 de julho, Brasília será sede do primeiro Encontro Nacional das Crianças Sem Terrinha. Devem participar do evento, organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), cerca de 1200 crianças entre 8 e 12 anos, vindas dos 24 estados onde a organização atua. 

O Encontro terá o lema “Sem Terrinha em Movimento: Brincar, Sorrir, Lutar por Reforma Agrária Popular!”. Durante os três dias, o Encontro terá uma programação que contará, entre outras, com atividades culturais, educativas, brincadeiras, oficinas de arte e cultura. Cerca de 400 educadores adultos acompanharão o evento. Diversas etapas estaduais ocorreram como fase preparatória para o momento nacional.

Erivan Hilário, integrante do Setor de Educação do MST, explica que o movimento realiza encontros estaduais de sem terrinhas desde 1994 e que esta primeira experiência nacional terá dois eixos de discussão. 

“Esse encontro é resultado de um processo coletivo que o Movimento vem realizando há vários anos, especialmente nos últimos dois, que envolveram a preparação das crianças do Brasil todo com duas temáticas principais: os direitos da criança e a alimentação saudável. Temos uma expectativa muito boa, tem um significado político e pedagógico muito importante: reunir crianças de diversos assentamentos e acampamentos para poder discutir, trocar experiências e poder pensar o protagonismo infantil”, diz. 

O protagonismo infantil se dá na própria coordenação do Encontro, que será conduzido pelas crianças com auxílio dos adultos. Nos debates sobre as duas principais questões a serem debatidas, o modelo será o mesmo. É o que afirma Márcia Ramos, também do Setor de Educação, apontando que os principais objetivos pedagógicos do encontro são a “socialização das experiências” e a “motivação das crianças” para assumirem sua auto-organização.

“A ideia é que esse tema seja trazido por uma criança, o que está sendo pensado e elaborado no campo com as crianças. Então vai ter uma criança e um adulto falando sobre esse tema. No sentido de trazer a discussão sobre reforma agrária popular e a infância no MST, ou seja, o lugar da criança nesse projeto. À tarde, vamos fazer várias oficinas culturais. Já são mais de 35 oficinas previstas”, diz. 

O primeiro Encontro Nacional das Crianças Sem Terrinha acontece no Parque da Cidade Sarah Kubitschek.

Edição: Katarine Flor