Pesquisa

Lula seria eleito no 1º turno se eleições fossem hoje, aponta Vox Populi

Imbróglio de 8 de julho contribui para alterações entre os indecisos, avalia socióloga

Leer en español | Read in English | Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

De acordo com o levantamento, Lula ganharia em todos os cenários / Foto: Ricardo Stuckert

Detido na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba há mais de 100 dias, Luiz Inácio Lula da Silva segue na liderança da preferência popular para as eleições deste ano. É o que mostra a pesquisa CUT/Vox Populi realizada entre os dias 18 e 20 de julho.

As intenções de voto em Lula chegaram a 41% na pesquisa estimulada, quando todos os candidatos são apresentados aos entrevistados. Em maio, pesquisa anterior do instituto, foram registradas 39% das intenções ao petista.

A soma de todos os outros adversários alcançou 29%, em julho, segundo a pesquisa CUT/Vox Populi, divulgada nesta quinta-feira (26). Considerando os votos válidos, isso significa que Lula seria eleito em primeiro turno, caso a eleição fosse hoje.

Realizada após 8 de julho, quando foram negadas duas liminares pelo desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), para a soltura do ex-presidente Lula, a pesquisa mostra o crescimento do candidato petista em todos os cenários, com diferentes candidatos e candidatas como seus rivais.

Para a socióloga Marisol Recaman, diretora da OMA Pesquisa, mais que um crescimento, a pesquisa sinaliza um fortalecimento da esperança entre eleitores após o 8 de julho. “Tem uma movimentação [nessa pesquisa] interessante, por conta do 8 de julho, que é uma movimentação dos [votos] brancos e nulos, que muito possivelmente não foi testada na pesquisa. Ao contrário do que possa parecer, os eleitores do Lula viam como uma impossibilidade o Lula concorrer, depois do 8 de julho eles retomam ao seu candidato original”, interpreta.

O percentual dos que não vão votar em ninguém, assim como brancos e nulos, totalizou 18%. Em maio, a soma era de 21%. Aqueles que não sabem ou não responderam à pesquisa de voto estimulado foram de 9% para 12% entre os entrevistados.

Recaman acredita que a mensagem cifrada decorrente do imbróglio jurídico pode estar nessa alteração das intenções de votos brancos e nulos. “Está lutando, então vai sair. Eles devem ter tido essa movimentação”, avalia.

No segundo lugar, com praticamente um terço das intenções de votos de Lula, está o deputado Jair Bolsonaro (PSL), que se manteve com 12%, seguido por Ciro Gomes (PDT), que alcançou 5%. Marina Silva (Rede) caiu de 6% para 4%, empatando com Geraldo Alckmin (PSDB), que também registrou 4%.

Manuela D’Ávila (PC do B) e Álvaro Dias (Podemos) obtiveram 1% das intenções de votos. A pesquisa também indica um pequeno recuo, de 3% para 2%, entre os que apresentavam intenção em outros candidatos.

Nas simulações de segundo turno, Lula também segue folgado contra qualquer um dos adversários. O ex-presidente lidera, na pesquisa Vox Populi, com 50% nas disputas contra os candidatos Ciro Gomes (PSB), que obteve 11%; Bolsonaro (PSL), com 16%; e Marina (Rede), com 12%. No caso da disputa contra o tucano, Lula venceria por 52% contra 10% de Alckmin (PSDB).

A pesquisa CUT/Vox Populi ouviu 2 mil pessoas, maiores de 16 anos, de todos os estados e do Distrito Federal, de todos os estratos socioeconômicos. A margem de erro é de 2,2 %, estimada em um intervalo de confiança de 95%.

Nordeste com Lula

A pesquisa também comprova o voto consolidado no Nordeste, na análise por região. Lula tem 58% das intenções de votos entre os nordestinos, contra 8% alcançados por Ciro, seguido por Bolsonaro, com 7%. Alckmin aparece com 3% e Marina caiu de 6% para 2%. Os demais não pontuaram.

“Eles conhecem bem o Lula. Toda a constituição política dele é absorvida, apreendida. Não precisam reconhecer o candidato. Eles já conhecem e confiam”, afirma a socióloga.

Cresce no Sul

Passaram de 31% para 34% as intenções de voto em Lula na região Sul. Em segundo lugar aparece Bolsonaro, com 19%, seguido por Álvaro Dias, que caiu de 10% para 5%, empatando com Ciro Gomes (5%). Marina, Alckmin e outros candidatos também aparecem empatados com 4%. Manuela tem 1%

Sudeste

No Sudeste, Lula tem 33% das intenções de voto contra 12% de Bolsonaro. Geraldo Alckmin, apesar de governar São Paulo por quase 14 anos, registrou apenas 6% das intenções de voto. Marina tem 4%; Ciro 2%; Manuela e Álvaro Dias 1% cada; e a opção "outros", 3%. O percentual dos que não vão votar em ninguém, brancos e nulos atingiu o maior índice no Sudeste, sendo a opção de 25% dos entrevistados.

Centro-Oeste e Norte

No Centro-Oeste e Norte, Lula também é o preferido pelo eleitorado e tem 39% das intenções de votos. Bolsonaro aparece em segundo, com 17%, seguido por Marina (8%); Ciro (6%); Alckmin (2%); Álvaro Dias (1%); e outros (1%).

Imaginário

Na pesquisa espontânea, Lula também avançou entre maio e julho, passando de 34% para 37% das intenções de votos. Bolsonaro se manteve em segundo lugar, com 10%; Ciro tem 3%; Alckmin caiu de 3% para 2% e segue empatado com Marina Silva (2%) e com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), citado por 2% dos entrevistados.

Joaquim Barbosa, Sergio Moro, Aécio Neves, Eduardo Jorge e Álvaro Dias aparecem com 1% das intenções de voto cada.

Os que disseram que vão votar em outros candidatos alcançaram 3%. Ninguém, brancos e nulos, 18%, e não sabem ou não responderam 18%.

Marisol acha que há uma parte do eleitorado do Lula que está alocado entre os “indecisos” e “não vou votar em ninguém”. “As pesquisas vêm indicando esse momento especial no Brasil, com relação à eleição. Todas as peças no tabuleiro estão se mexendo a partir dele [Lula]. Esse é o principal elemento para analisar essas eleições”.

Edição: Diego Sartorato