VIGÍLIA LULA LIVRE

Coen Roshi: Lula rechaça sentimentos de ódio

Monja budista visita ex-presidente e afirma que ele segue motivado

Curitiba (PR)

,
Para a monja, Lula possui uma fé particular e expressou gratidão a integrantes da Vigília / Eduardo Matysiak

Nesta segunda-feira (30), o ex-presidente Lula recebeu a visita da monja Coen Roshi, missionária oficial da tradição Soto Shu, conhecida também por suas palestras e atuação nas redes sociais a partir da mensagem budista.

Há 115 dias na condição de preso político, Lula recebe a visita de uma liderança religiosa todas as segundas-feiras. Até o momento, diferentes matrizes religiosas estiveram presentes na superintendência da Polícia Federal, no bairro do Santa Cândida, em Curitiba. 

De acordo com Coen, Lula está bem e muito motivado. Para a monja, ele possui uma fé particular e expressou ter um sentimento de gratidão profundo pelos integrantes da vigília.

Lula declarou à monja que se mantém tranquilo e que rechaça sentimentos de ódio, além de acalmar os visitantes. "Ele me disse: 'Eu durmo tranquilo todas as noites", afirmou a monja, ressaltando que o ex-presidente manifesta esperança num Brasil melhor.

Sino tibetano

Ao final da visita, o ex-presidente e a monja realizaram meditação juntos. Depois disso, Lula foi presenteado com um sino tibetano para que faça suas meditações no cárcere. Na tradição budista representada pela monja, o silêncio deve ser aproveitado como um momento de crescimento espiritual. "Ele me disse que está mais filósofo", completa a visitante.

Edição: Pedro Carrano