Eleições

ARTIGO | Bolsonaro é Temer. Alckmin é Temer

Professor da UFPB, Jaldes Meneses, analisa a proximidades política das candidaturas conservadoras com o Governo Temer.

João Pessoa (PB)

,
Nas bancadas dos oito partidos alinhados com Alckmin (DEM, PP, PPS, PR, PRB, PSD, PTB e SD), o apoio ao Temer variou entre 83% e 89%. / Divulgação

Bolsonaro participou do golpe, Alckmin participou do golpe.

São farinha do mesmo saco, são dois candidatos contra os trabalhadores.

Bolsonaro votou SIM na REFORMA TRABALHISTA DE TEMER contra os trabalhadores. O Partido de Bolsonaro, o PSL, foi o partido mais fiel ao governo Michel Temer em todas as votações na Câmara dos Deputados no primeiro semestre deste ano.

Bolsonaro votou para entregar o pré-sal às multinacionais e afirmou em entrevista à Globo News que cogita até privatizar a Petrobras. Espanta que tenha origem militar, pois se comporta programaticamente nesta eleição como um inimigo da soberania nacional e amigo dos interesses do império americano.

Por sua vez, PSDB e CENTRÃO são a base de apoio do Temer. São os partidos que nomeiam os ministros do governo, que detêm a chave do tesouro, através do jogo de troca-troca fisiológico do congresso.

Segundo o Banco de Dados Legislativos do Cebrap (Centro Brasileiro de Análise e Planejamento), em média 88% dos congressistas do PSDB votaram com o governo desde o impeachment de Dilma Rousseff (PT) e a posse de Temer. Nas bancadas dos oito partidos alinhados com Alckmin (DEM, PP, PPS, PR, PRB, PSD, PTB e SD), o apoio ao presidente variou entre 83% e 89%. Todos esses partidos ocuparam cargos no governo.

Bolsonaro, Alckmin e Temer são os culpados pelo aumento do preço do gás de cozinha e dos planos de saúde, pelo desemprego de 13 milhões e 60 milhões de desocupados, pela desativação do Minha Casa, Minha Vida e Farmácia Popular, pelo corte de verbas da educação e da saúde, pelo retorno do Brasil ao mapa da fome.

Lembre-se: votar em Alckmin ou Bolsonaro é votar no Temer!

 

Edição: Paula Adissi