LUTA

Dia do Basta! é marcado por protestos de diversas categorias

Petroleiros, bancários e eletricitários começaram o dia em atos que denunciam o desmonte do país

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
Trabalhadores da Petrobras fizeram paralisações em diversas unidades da empresa no início da manhã. Na foto petroleiros da REDUC / Levante Popular da Juventude

Diversas categorias começaram o dia mobilizando seus trabalhadores no estado do Rio. As ações são parte do "Dia do BASTA!" convocado para esta sexta (10) em todo o país pela Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Logo cedo, os petroleiros da Refinaria Duque de Caxias (REDUC) fizeram uma ação de paralisação durante a manhã. O trabalhadores que chegaram para as trocas de turno foram convidados pelo SindPetro Caxias a atrasar seus horários de entrada para refletir sobre os ataques à categoria, à Petrobras e à soberania brasileira. 

No centro do Rio, os bancários fazem desde cedo uma vigília nas principais agências. Na Avenida Rio Branco, diversos bancos não abriram as portas. O protesto é contra a Federação Nacional de Bancos (Fenaban) que tenta impor, na negociação salarial, quatro anos sem aumento real e ameaça os benefícios da Convenção Coletiva. O ato também faz parte  do “Dia do Basta”, uma mobilização nacional contra a perda de direitos.

No início da tarde, os trabalhadores da Eletrobras se somaram às manifestações e fizeram um ato em frente a empresa na Av. Presidente Vargas, no centro do Rio. Eles pedem a saída do presidente da empresa pública, Wilson Pinto. Os eletricitários foram convocados pelo Sindicato dos Eletricitários (SINTERGIA/RJ) e pela Associação de Empregados da Eletrobras (AEEL) contra a privatização da empresa, plano que tem sido empenhado pelo governo de Michel Temer. 

Ainda hoje acontecerá um ato cultural contra a perda de direitos, precarização das empresas públicas e venda do patrimônio público. Com o mote "Chega de violência, desemprego, carestia* e desgoverno" a CUT e diversas centrais sindicais esperam os cariocas à partir das 16h30 na Praça XV, no centro do Rio. 

*Carestia: encarecimento do custo de vida.

Edição: Jaqueline Deister