ASTROS

Ouvir Estrelas | A casa 12 e a lei do carma

A casa 12 revela nossa bagagem inconsciente, que também chamamos de carma

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

O carma é a colheita desta vida, que depende do que semeamos no passado / Reprodução

A casa 12 revela nossa bagagem inconsciente, que também chamamos de carma. São compromissos que temos, mas que não dependem da nossa vontade consciente. Em muitas tradições religiosas, a ideia de carma está ligada ao conceito de reincarnação. Quer dizer, nossa energia – que podemos chamar de espírito, alma, mente etc – nasce e morre várias vezes, nesta forma física que chamamos de vida. O carma é a colheita desta vida, que depende do que semeamos no passado.

Independente da crença na reincarnação, o carma respeita às leis da natureza. Aprendemos na escola uma lei da física que diz que a toda ação corresponde uma reação de mesma direção e intensidade e sentido oposto. Isso vale para a vida. Se minha atitude é de ódio, receberei ódio, se é de amor, receberei amor. Ou seja, estamos produzindo carma com nossas atitudes o tempo todo. Mas o resultado não é necessariamente imediato, não se trata de um conceito humano de justiça. É muito mais simples. A ideia de carma não é a de prêmio ou punição. É colheita, de acordo com os princípios da natureza.

Se eu plantar jaboticaba, posso colher jaboticaba. O problema é que semeamos jaboticaba, mas no turbilhão de desejos que sustenta nosso ego, quando a planta brota, não queremos mais jaboticaba, queremos goiaba! Não tem mágica nem milagre que mude isso.

O trabalho é acolher a colheita que temos, aprender com a experiência  e amorosamente plantar de novo, e de novo, até chegar a uma colheita satisfatória. A isso chamamos de trabalho espiritual, que nos aproxima de nossa sabedoria divina. Os signos, planetas e aspectos da casa 12 nos mostram o que está semeado na nossa horta inconsciente; e qual é o trabalho espiritual necessário para ter uma colheita saudável.

A partir de agora, esta coluna reponderá às perguntas que chegam à redação. Mande sua sugestão para o número (21) 99373-4327 pelo whatsapp!

Edição: Brasil de Fato RJ