VIGÍLIA LULA LIVRE

Ato simbólico ocorre no mesmo momento de registro de candidatura de Lula

Na frente da superintendência da PF, em Curitiba, movimentos populares organizam ato político e celebram resistência

Curitiba (PR)

,
Foi informado aos militantes ali presentes, em frente ao prédio da superintendência da Polícia Federal, que o registro havia sido feito / Joka Madruga

Nesta quarta-feira (15), a Vigília Lula Livre, em Curitiba, promoveu um ato político para marcar o momento do registro da candidatura de Lula no Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O ato foi feito na mesma tarde da mobilização organizada em Brasília.

Às 17h30, foi informado aos militantes ali presentes, em frente ao prédio da superintendência da Polícia Federal, que o registro havia sido feito, notícia recebida com aplausos.

Estiveram presentes diversas organizações e movimentos populares, caso da CUT, Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Consulta Popular, sindicatos da capital e do interior do estado, metalúrgicos, bancários, petroleiros, professores estaduais, movimentos de moradia, entre outros, ao lado de militantes e candidatos do Partido dos Trabalhadores, caso de Dr Rosinha e Anaterra Viana, nomes para governador e vice ao governo do estado.

Firmeza

Robson Formica, dirigente nacional do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) colocou a importância da firmeza da militância nesse momento. “Uma campanha em meio a um Estado de Exceção, em meio a um golpe de Estado, portanto a luta popular deve se intensificar, a mobilização popular e a campanha eleitoral devem andar de mãos dadas”, explicou.

Injustiça

Hillma de Lourdes, do Movimento Nacional de Luta por Moradia (MNLM) relatou que quando esteve presente na criação do Ministério das Cidades, foi testemunha de momento em que o cidadão teve de fato, representatividade. “Pensar a cidade, pensar a reforma urbana e uma nova forma de convivência é nosso dever. Mas para isso precisamos eleger o companheiro Lula. É triste ver as pessoas sem ter o direito a morar, e um juiz inescrupuloso ganha R$ 4.300 de auxílio-moradia, isso é roubo”, declarou Hilma.

Pressão

Florisvaldo Souza, dirigente nacional do PT, afirmou que o momento é de pressão. “Agora nós temos que fazer todo tipo de pressão; aqui na Vigília, nos lugares em que atuamos politicamente; para que o judiciário não cometa mais o absurdo de tentar impedir a candidatura do presidente Lula, que é a vontade do povo brasileiro, principalmente a vontade do povo pobre”, declarou.

O ato, que também contou com apresentações de artistas populares, se encerrou com  apresentação de poemas, canções e o tradicional Boa Noite Presidente Lula.

Edição: Pedro Carrano