Mobilização

Em São Paulo, manifestantes participaram de ato em apoio à candidatura de Lula

Mobilização, em frente ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE), ocorreu simultaneamente ao ato em Brasília

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Organizado pela Frente Brasil Popular, manifestação na capital paulista teve faixas em defesa do ex-presidente / Júlia Rohden

Paralelamente ao ato nacional realizado próximo ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), em Brasília, que reuniu cerca de 50 mil pessoas para acompanhar o registro da candidatura de Luiz Inácio Lula da Silva à Presidência, manifestantes se reuniram em frente ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) de São Paulo.

O ato em São Paulo, organizado pela Frente Brasil Popular, ocorreu por volta das 17h desta quarta-feira (15), data limite para o registro de candidaturas ao pleito 2018.

De acordo com Antonio Pedro Souza, integrante da Frente Brasil Popular, o objetivo foi reunir apoiadores do ex-presidente que não puderam ir até Brasília.

A aposentada Sebastiana Toledo é uma das que reforçaram o ato em São Paulo. "O governo dele [Lula] mudou bastante as nossas vidas, porque ele é do lado do pobre e esse que está aí [Michel Temer] é do lado do rico. Por isso, esse povo está aqui. Eu queria poder estar em Brasilia, como não posso estou aqui", explica. 

Liciane Andrioli, da coordenação do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), afirma que o ato é para denunciar a prisão política de Lula e lembra que ele segue em primeiro lugar nas pesquisas de intenção de voto.

Para Andrioli, a Marcha Nacional Lula Livre, que reuniu cerca de cinco mil trabalhadores rurais num trajeto de mais de 50 km até Brasília, tem importância histórica. "Foi muito importante a organização da Marcha, pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) e pela Via Campesina, para marcar essa data que é histórica no nosso país. Nunca, na história do Brasil, tivemos um candidato preso que gerasse todo esse processo de mobilização e de luta para garantir o registro de sua candidatura", afirma. 

 

Edição: Cecília Figueiredo