Eleições 2018

Presidenciáveis somam R$ 833 milhões em bens

João Amoêdo (Partido Novo) e Henrique Meirelles (MDB), do partido de Temer, são os mais ricos

Brasil de Fato | Brasília (DF)

,
Candidato de Temer (MDB), Henrique Meirelles tem segundo maior patrimônio entre os presidenciáveis, com R$ R$ 377 milhões / Valter Campanato/Agência Brasil

Até a última quarta-feira (15), data-limite para o registro de candidaturas, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) recebeu, para a disputa pela Presidência da República, a inscrição de 13 candidatos.

Esta é a primeira eleição presidencial do país em que é vetado aos concorrentes o recebimento de dinheiro de empresas para o custeio das campanhas. As doações só são permitidas a pessoas físicas.

Entre as exigências legais para a validação dos registros dos candidatos, está a declaração do patrimônio pessoal. Segundo informações oficiais do Tribunal, os 13 presidenciáveis somam R$ 833 milhões em bens.

Candidatos

O senador Álvaro Dias (Podemos), por exemplo, declarou cerca de R$ 2,8 milhões, distribuídos entre posse de veículos, capitais bancários e outros bens.

O ex-ministro Ciro Gomes (PDT) apresentou declaração correspondente a cerca de R$ 1,6 milhão em bens, que reúnem imóveis, aplicações bancárias, veículos, etc.

O empresário Eymael, do DC (ex-PSDC), declarou R$ 6,1 milhões, que incluem ações e aplicações bancárias, imóveis, veículos e objetos de arte.

O deputado federal e candidato de extrema-direta Jair Bolsonaro (PSL), que se declarou ao TSE como membro das Forças Armadas, apresentou R$ 2,2 milhões em bens. São imóveis, ações e aplicações bancárias e pelo menos R$ 330 mil em automóveis.

João Goulart Filho (PPL), filho do ex-presidente da República João Goulart, declarou R$ 8,5 milhões de patrimônio pessoal ao TSE, entre terrenos, capitais e outros bens.

O ex-presidente Lula, que encabeça a chapa do PT, declarou cerca de R$ 7,9 milhões em bens. São R$ 6,3 milhões em previdência privada, cerca de R$ 266 mil em automóveis e o restante em imóveis, terrenos, fundos bancários, entre outros.

O ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) declarou R$ 1,3 milhão, distribuídos entre terras, imóveis, ações e outros bens.  

A ex-senadora Marina Silva, da Rede, apresentou um patrimônio de R$ 118 mil, distribuídos em R$ 102 mil de imóveis, pelo menos R$ 10 mil em aplicações e outras ações bancárias.

O dirigente do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) Guilherme Boulos, que concorre pelo Psol, declarou cerca de R$ 15,4 mil, correspondentes a um veículo automotor.

A candidata do PSTU, Vera Lúcia, apresentou R$ 20 mil em bens, correspondentes a um terreno. Já o candidato do Patriota, deputado federal Cabo Daciolo, não declarou nenhum bem.

João Amoêdo

O engenheiro João Amoêdo, do Partido Novo, ocupa o primeiro lugar na lista, tendo declarado cerca de R$ 425 milhões. O valor inclui, por exemplo, pelo menos R$ 22 milhões em imóveis e uma embarcação de R$ 4,1 milhões.

Na lista também constam bens como terrenos, depósitos bancários, fundos, aplicações e cerca de R$ 1,2 milhão em artigos como joias, objetos de arte e antiguidades.

Henrique Meirelles

O candidato do MDB (ex-PMDB), partido do presidente Michel Temer, declarou R$ 377 milhões em bens, sendo R$ 283 milhões em ações, o que corresponde a cerca de 70% do total.

Além disso, o emedebista possui, por exemplo, um apartamento de cerca de R$ 21 milhões, R$ 6,9 milhões em conta corrente no exterior e pelo menos R$ 917 mil em bens de luxo, como joias, quadros e antiguidades.

Com histórico de relações estreitas com o capital financeiro, Meirelles já foi, entre outras coisas, presidente mundial do BankBoston.

Transparência

Mais detalhes sobre o patrimônio dos presidenciáveis e também de outros candidatos podem ser conferidos na página do TSE, no link http://divulgacandcontas.tse.jus.br/divulga/#/

 

Edição: Tayguara Ribeiro