Apoio

Brasil se une em solidariedade aos trabalhadores em greve de fome

Preocupados com estado de saúde de grevistas, movimentos sociais pedem urgência à Ministra Carmém Lúcia

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
Sete militantes estão sem comer desde a manhã do dia 1º de agosto pela liberdade do ex-presidente Lula / Foto: Reprodução

Um ato em solidariedade aos sete trabalhadores que estão em greve de fome por justiça no Supremo Tribunal Federal (STF) será realizado nesta segunda-feira (20), às 18h30, em Belo Horizonte. Manifestantes irão se reunir em frente ao Palácio da Justiça (av. Afonso Pena, 1420), para uma vigília e cerimônia religiosa. A orientação é levar velas para demonstrações de apoio e respeito.

Os sete militantes estão sem comer desde a manhã do dia 1º de agosto pela liberdade do ex-presidente Lula. No momento, eles apresentam condições críticas de saúde, imunidade baixa e desidratação. O ato na capital mineira tem o objetivo de cobrar agilidade da Ministra Cármém Lúcia na análise de Ações Declaratórias de Constitucionalidade (ADCs) que reforçam a presunção de inocência. A emergência é para que o estado físico dos grevistas não piore. Além disso, a ação quer chamar a atenção para a greve de fome, pouco divulgada pela mídia comercial.

"A mídia está bloqueando a ação [dos grevistas], a população não sabe o que está acontecendo, assim como existe um bloqueio em torno da Cármem Lúcia. Tentamos fazer contato com ela e não conseguimos. Agora é preciso que haja urgência, que se faça justiça logo", afirma uma das organizadoras do ato de BH e coordenadora do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Ester Hoffmann.

Pessoas começaram a fazer jejuns cívicos (de um ou dois dias) para fortalecer a greve de fome. Iniciativas do tipo acontecem, por exemplo, nos estados da Bahia e Rondônia. Vigílias como a da capital mineira também estão programadas em todo o país. Em Brasília, na frente do STF, manifestantes se juntam a partir das 18h para um ato inter-religioso.

Edição: Rafaella Dotta