VIGÍLIA LULA LIVRE

Samper, ex-presidente da Colômbia: "Deem a Lula todas as garantias a que tem direito"

Comentou a imagem diante da comunidade internacional que o Brasil passou a ter depois da prisão de Lula

Brasil de Fato I Curitiba (PR)

,
"Ele não está sozinho, a comunidade internacional o acompanha como arquiteto da política que converteu o Brasil num ator mundial" / Joka Madruga

Na tarde do dia 23 (quinta), Lula recebeu a vista do ex-presidente da Colômbia, Ernesto Samper, e de Luiz Dulci, Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência do Brasil. Durante coletiva de imprensa, os dois deixaram impressões sobre a situação atual do ex-presidente brasileiro e também da comunidade internacional sobre o tema.

Samper, que é ex-secretário geral da União de Nações Sul-Americanas (Unasul) e foi presidente da Colômbia no período entre 1994 e 1998, declarou que sua visita foi um gesto de solidariedade pessoal e político, e que encontrou Lula com planos para o futuro. “Ele não está sozinho, a comunidade internacional o acompanha como arquiteto da política que converteu o Brasil num ator mundial”, declarou.

Segundo o político colombiano, esta mesma comunidade internacional se pronunciou por meio do Comitê de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidades (ONU) para reivindicar que o ex-presidente brasileiro tenha um julgamento justo. “Em nome desta comunidade internacional que está com Lula, ao Estado Brasileiro, respeitosamente venho pedir que […] deem ao presidente todas as garantias a que tem direito para competir em igualdade de condições com seus rivais nas próximas eleições presidenciais”, ressaltou Samper, que recomendou ainda que membros das Nações Unidas venham ao Brasil verificar o cumprimento da determinação do Comitê e revisar a idoneidade do julgamento a que Lula está submetido e por conta do qual está mantido como preso político.

Decisão da ONU

Luiz Dulci relatou que o ex-presidente do Brasil se preocupa com a situação da população, com o contexto de volta de alguns setores populares à miséria. Segundo ele, Lula vem acompanhando, também com muita atenção, as manifestações da comunidade internacional. “As Nações Unidas são o principal mecanismo da democracia internacional e o Brasil é signatário de seus pactos. A decisão da ONU é a de que o povo brasileiro tem o direito de escolher quem será seu presidente”, frisou o ex-ministro.

Edição: Pedro Carrano