Justiça

Greve de Fome: Comitê Internacional por Justiça e Paz envia carta à Cármen Lúcia

"Rogamos sua intervenção para contribuir com o diálogo necessário à paz e se retome o caminho democrático no Brasil"

Brasil de Fato | SP

,
Militantes em jejum há 26 dias em Brasília não foram recebidos pela maioria dos ministros do STF / Foto: Adilvane Spesia / MPA

"Receba e escute os cidadãos que se encontram em greve de fome". É o que pede o Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos e a Liga Argentina pelos Direitos do Homem junto a Organismos de Direitos Humanos da América Latina e organizações sociais, enviada à presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia.

O documento, assinado por Graciela Ramírez, coordenadora do Comité Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos, e Graciela Rosemblum, presidenta da Liga Argentina pelos Direitos do Homem, demonstra preocupação com a "crescente escalada de polarização política, com presença militar nas ruas, assassinato de líderes sociais como Marielle Franco, perseguição judicial, falta de garantias processuais e encarceramento de líderes de prestígio mundial como o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva", além de mencionar situações "que nos remetem aos tristes tempos da ditadura militar nesse país", desde 2016.

Na carta, os organismos apelam à ministra da Corte: "Rogamos sua intervenção para contribuir com o diálogo necessário à paz e se retome o caminho democrático no Brasil".

Confira abaixo a íntegra da carta:

Comité Internacional Paz, Justicia y Dignidad a los Pueblos

Havana, 23 de agosto de 2018

À: Ministra Carmen Lucía - Presidenta do Supremo Tribunal Federal – STF

Excelentíssima Ministra:

O Comitê Internacional Paz, Justiça e Dignidade aos Povos e a Liga Argentina pelos Direitos do Homem junto a Organismos de Direitos Humanos da América Latina e Organizações Sociais, expressa sua profunda preocupação pelo tratamento aos cidadãos brasileiros que se encontram em greve de fome.

Desde o ano 2016 quando foi retirada do governo a presidenta Dilma Rousseff, o Brasil se encontra em uma crescente escalada de polarização política, com presença militar nas ruas, assassinato de líderes sociais como Marielle Franco, perseguição judicial, falta de garantias processuais e encarceramento de líderes de prestigio mundial como o ex presidente Luiz Inacio Lula Da Silva e um conjunto de situações em detrimento da vigência dos direitos humanos que nos remetem aos tristes tempos da ditadura militar nesse país.

Com todo respeito lhe pedimos que receba e escute os cidadãos que se encontram em greve de fome. São eles : Frei Sergio Görgen, Rafaela Alves, Luiz Gonzaga (Gegê), Zonália Santos, Jaime Amorim, Vilmar Pacífico e Leonardo Soares. O direito básico destas pessoas de se manifestarem pacificamente não pode ser vulnerado. Os órgãos de justiça do Brasil têm a obrigação de preservar os direitos e garantias de todos os cidadãos brasileiros. 

Rogamos sua intervenção para contribuir com o diálogo necessário à paz e se retome o caminho democrático no Brasil.

Atenciosamente, Graciela Ramírez, coordinadora Comité Internacional Paz, Justicia y Dignidad a los Pueblos Graciela Rosemblum, presidenta Liga Argentina por los Derechos del Hombre.

 

Plataforma internacional con sede en Cuba, nuclea a hombres y mujeres de buena voluntad de diferentes países, unidos en la defensa de la Paz, la Justicia y la Dignidad humana. Dirección: Paseo 201 apto. 64 entre 11 y Línea, Vedado – Plaza. La Habana-Cuba Tel: +537 836-0044; +537 836-8077 Email: trebol@enet.cu Web: www.theinternationalcommittee.org

Edição: Cecília Figueiredo