Eleições

Chapa Lula-Haddad é lançada em Minas Gerais

Evento reuniu trabalhadores, estudantes, movimentos populares e organizações sindicais em Belo Horizonte

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
"Você pode ter várias dores, mas tem uma dor que é insuportável: a dor da injustiça", discursou a ex-presidenta Dilma / Foto: Reprodução/Twitter

Um grande ato de lançamento da candidatura de Lula à Presidência da República foi realizado na noite desta terça-feira (28), em Belo Horizonte, no bairro de Santa Tereza. Participaram do evento o candidato ao cargo de vice-presidente, Fernando Haddad (PT); a ex-presidenta e candidata ao Senado por Minas Gerais, Dilma Rousseff (PT); a deputada federal Manuela D’Ávila (PCdoB); o governador do estado e candidato à reeleição Fernando Pimentel (PT) e sua candidata a vice, a deputada federal Jô Moraes (PCdoB).

O comício foi iniciado com a saudação de todos os candidatos ao ex-presidente Lula, que segue preso sem provas há mais de 100 dias em Curitiba, no Paraná. Os participantes também lembraram os retrocessos causados pelo golpe em curso no país e pediram por um Judiciário isento e sem interesses políticos.

"Você pode ter várias dores, mas tem uma dor que é insuportável: a dor da injustiça. É quando você sabe que está sendo ferido, não porque tenha cometido qualquer crime, mas por suas qualidades”, discursou a ex-presidenta Dilma.

Centenas de pessoas, entre estudantes, trabalhadores, movimentos populares e organizações sindicais acompanharam o momento. Vendedor ambulante há 24 anos, Rubens dos Santos, de 40, estava trabalhando, mas fez questão de reafirmar a sua vontade de votar em Lula novamente. “Ele é o melhor pro nosso país. Quando ele estava no governo as coisas andaram. Com ele preso, a vida ficou mais difícil em tudo. Nós estamos trabalhando mais e não vendo a renda. Queremos Lula livre”, declarou.

O seu companheiro de trabalho, Gustavo da Silva Carvalho, de 25 anos, defendeu a opinião do colega. “O Brasil tinha mais emprego, as coisas eram mais baratas. Eu sempre votei em Lula, e nunca vou votar em Bolsonaro”, ressaltou o jovem.

Já o estudante de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) Felipe Aquino, disse estar amedrontado com onda conservadora que assola o país e a América Latina. “Quero votar contra tudo o que significa esse governo Temer, toda essa retirada de direitos. Para além disso, o Lula desperta uma sensação de autoestima, de esperança na gente”.

Os comícios devem agora seguir por outras regiões do Brasil. Os candidatos já passaram por estados como Bahia, Pernambuco e Rio de Janeiro.

Edição: Joana Tavares