Mídia

Com a perspectiva do trabalhador, TVT comemora 8 anos

Concessão obtida pelos sindicatos permite conteúdo contra-hegemônico e cada vez mais democrático

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

'As pessoas começaram a ver que aqui temos um processo de comunicação diferente', avalia fundador / Reprodução/Youtube

"A TV que te vê" é o slogan que a Tevê dos Trabalhadores (TVT) carrega pelo ineditismo de ser a primeira experiência de radiodifusão concedida para um sindicato no mundo. Mantida pelos sindicatos dos Metalúrgicos do ABC (SMABC), dos Bancários e Financiários de São Paulo, Osasco e Região e dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp), a TVT atinge 8 anos.

O fundador e porta-voz da emissora, Tarcísio Secoli, ressalta que desde que os processos de telecomunicações ocorreram no Brasil, foi a primeira vez que os trabalhadores foram contemplados. O SMABC lutava por esse direito desde 1992. Foram 17 anos até a concessão sair em 2009.

"São os grandes sindicatos do estado de São Paulo que mantém o projeto de comunicação; que é diferente com objetivos e ideais da classe trabalhadora, lutando por democracia, diversidade, direitos das mulheres e por aí vai", frisa Secoli.

Rita Berlofa que há três anos está na direção financeira da TVT, acredita que só a existência da emissora já é um exercício de democratização da comunicação na prática. "Quando eu penso nos 8 anos da TVT, o primeiro sentimento que me invade é o de orgulho. Porque é algo totalmente inusitado. Os trabalhadores terem um canal de TV através de seus sindicatos". 

Nesses oito anos, Secoli observa que houve um crescimento da audiência da TVT, com intensificação no ano de 2016, com o golpe parlamentar sofrido pela ex-presidenta Dilma Rousseff (PT). "Nós começamos então a ter um crescimento maior a partir do começo do ano passado, a partir do golpe, porque a partir daí as pessoas começaram a ver que aqui temos um processo de comunicação diferente".

Berlofa, que também é  da direção executiva do Sindicato dos Bancários de São Paulo, acredita que a grande missão da TV é a defesa da visão dos trabalhadores. 

"Às vezes a gente faz o impossível com os recursos que temos. Mas acima de tudo fazemos uma TV que tem um lado, o lado é estar engajado acima de tudo para dar voz aos trabalhadores, para dar voz aos direitos humanos, as minorias, dar voz para quem não tem voz". 

A TVT, que pode ser assistida em canal aberto na grande São Paulo, no canal 44.1, no canal 512 na NET-HD-ABC, 513, Mogi das Cruzes e canal 12, em São Caetano e trabalha em sinergia com as rádios Brasil Atual e com a Rede Brasil Atual.

Edição: Cecília Figueiredo