MOBILIZAÇÃO

Ato em apoio ao Museu Nacional é reprimido no Rio de Janeiro

Outra manifestação está convocada para a tarde desta segunda-feira (3) no centro da cidade

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,

Ouça a matéria:

Centenas de manifestantes foram recebidos com bombas de efeito moral e spray de pimenta na Quinta da Boa Vista, zona norte do Rio / Reprodução

Na manhã desta segunda-feira (3), um ato em apoio ao Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro foi reprimido com violência pelas forças policiais. Os manifestantes foram recebidos com bombas de efeito moral e spray de pimenta enquanto protestavam em frente aos portões da Quinta da Boa Vista, na zona norte do Rio de Janeiro, local que abrigava a instituição incendiada no último domingo (2).

Centenas de pessoas participaram do protesto, que se iniciou por volta das 9h da manhã e foi convocado através do Facebook. Nas redes sociais, estudantes, professores e pesquisadores manifestaram repúdio à ação truculenta das forças policiais.

Outra manifestação foi convocada para a tarde desta segunda-feira (3), a partir das 16h, com concentração na Cinelândia, no centro do Rio. Entre os objetivos do ato está a defesa da cultura e educação pública de qualidade. A deputada federal Jandira Feghali (PCdoB) foi uma das que se somou à convocação.

“Me somo a essa convocação em defesa do patrimônio cultural brasileiro. O incêndio chama atenção para o que já defendemos há muito tempo, mas que infelizmente, hoje, é o símbolo da destruição do Brasil. Vamos todos defender o patrimônio cultural brasileiro, vamos todos”, disse.

O incêndio do Museu Nacional começou após o fechamento do aos visitantes no último domingo (2), por volta das 19h30. O museu, que comemorou 200 anos em 2018, foi fundado por João VI. Seu acervo contava com mais de 20 milhões de itens.

Edição: Mariana Pitasse