Newsletter

Conheça o "Ponto", boletim semanal de resenha política em parceria com o BdF

Conteúdo é enviado todas as sextas-feiras, por email, e traz um resumo das principais notícias da semana

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,
Boletim semanal traz indicações de leituras e informações selecionadas para o leitor do Brasil de Fato / Divulgação

Apresentamos o boletim semanal Ponto, projeto em parceria com o Brasil de Fato. Nossa intenção é trazer a você um resumo das principais notícias da semana, que muitas vezes se perdem em meio ao caos de informações, além de análises, indicações de leituras e outros conteúdos que, na correria do dia a dia, você não conseguiu acompanhar. Assim, você receberá todas as sextas, em seu e-mail, um guia de informações para que você não se perca nesta crise - política, econômica, social e informativa. 

Para assinar, preencha o formulário aqui: http://bit.ly/AssinePonto

E lembre-se de colocar nosso email newsletter@ponto.jor.br no cadastro de endereços para que o Ponto não caia na caixa de spam.

Reproduzimos abaixo a última edição do Ponto, divulgada em 31 de agosto de 2018.

 

31 de agosto de 2018

Olá,

O horário eleitoral começa neste final de semana e coloca em xeque duas candidaturas, Lula e Geraldo Alckmin. Explicamos o por quê, assim como as turbulências do mercado financeiro diante das pesquisas eleitorais. Como sempre, no final da edição, temos várias sugestões para você ler no fim de semana. Vamos lá.

Horário nobre. Com o início do programa eleitoral, se aproxima a hora da verdade para as candidaturas que decidiram as eleições presidenciais nos últimos 24 anos. Para Lula, a participação do ex-presidente é central dentro da estratégia do PT, tanto de manter a visibilidade e defesa de Lula, quanto numa possível substituição por Haddad. O TSE tem sessão extraordinária nesta sexta-feira (31). Além de 16 pedidos de impugnação, a candidatura Lula ainda enfrenta o pedido do Partido Novo para que não possa participar de nenhuma maneira do programa eleitoral. O Jornal GGN alerta que, mais uma vez no caso de Lula, os prazos legais e jurídicos estão sendo desrespeitados. O Nexo também elencou todas as negativas sofridas pela candidatura no TSE. Porém, quase proporcionalmente, quanto mais derrotas sofre no judiciário, mais a candidatura Lula cresce nas pesquisas. A situação preocupa os ministros Rosa Weber, Luis Barroso e Edson Facchin, segundo a Folha.

Do professor da UNB, Luis Felipe Miguel: "A manobra do TSE que ameaça impedir a campanha de Lula na TV - uma candidatura registrada e, até o momento, perfeitamente regular, já que não houve julgamento do pedido de impugnação - mostra o grau de desespero do golpismo. Não há nenhuma intenção sequer de manter as aparências."

Da colunista Mônica Bergamo: A eventual decisão do TSE de vetar a aparição de Lula na TV como candidato deve reabrir a discussão sobre a pertinência de substitui-lo em breve por Haddad.

Para Geraldo Alckmin, o programa eleitoral é a derradeira tentativa de sobrevivência e a prova dos 9 sobre o acordão com os partidos nanicos e fisiológicos valer a pena. Como lembra o Nexo, a propaganda será menor, mas haverá mais inserções durante a programação: Alckmin terá 434 inserções contra 11 de Bolsonaro. O pesquisador Renato Meirelles aposta que a televisão tirará Bolsonaro e Marina do páreo. Já a última pesquisa do Poder 360, segue a tendência apontada pela Vox Populi: Lula transferiria seu potencial de votos para Haddad, enquanto Bolsonaro chegaria ao segundo turno. Para a Piauí, a candidatura Alckmin tem data de validade: se os seus números não melhorarem nas pesquisas Ibope e Datafolha da primeira quinzena de setembro, seus apoiadores saltarão do barco ainda no primeiro turno.

Namoro. Além da crise econômica internacional, o cenário político tem tirado o sono do empresariado brasileiro. Sem emplacar a pauta das suas reformas e nem o seu candidato, o sistema financeiro - que chegou a comemorar impressionantes 3% de João Amoedo na pesquisa XP - já flerta com um desembarque na candidatura de Jair Bolsonaro. O responsável pelo namoro é Paulo Guedes, economista do BTG Pactual e fundador do Instituto Millenium, responsável pelo plano de governo do deputado carioca. Nesta longa entrevista ao El País, é possível tanto vê-lo em ação, tornando Bolsonaro palatável, como conhecer as suas propostas para a economia, como a privatização de estatais e a capitalização da previdência. Parece estar surtindo efeito, nesta semana, cerca de 100 investidores reunidos pelo BTG Pactual encontraram motivos para simpatizar com o vice de Bolsonaro, o General Mourão.

 

RADAR

Estado policial na universidade. A semana foi de tensão na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), alvo de uma ação do MPF que denunciava os professores Ubaldo Cesar Balthazar e Áureo Mafra de Moraes, respectivamente reitor e chefe de gabinete da reitoria, por defenderem a "honra funcional" da delegada da Polícia Federal Érika Mialik Marena. A acusação: eles não haviam proibido uma manifestação com críticas à "Operação Ouvidos Moucos". No final das contas, a Justiça Federal rejeitou a denúncia, mas vale continuar acompanhando o caso. Há cinco professores afastados de suas atividades há um ano, como apontou a nota do Conselho Universitário.

 

RETROCESSO DIÁRIO

Terceirização I. Nesta quinta (30), o STF decidiu liberar a terceirização irrestrita, independentemente de setor ou atividade. Até 2017, só atividades-meio, que não estavam diretamente ligadas ao objetivo da empresa, poderiam ser terceirizadas. Ouvido pela Rede Brasil Atual, o deputado Chico Alencar (PSOL-RJ), considerou a decisão como o fim de qualquer garantia trabalhista: "é precarização da qualidade dos serviços".

Terceirização II. Para se ter ideia dos efeitos da decisão do STF, na prática, nos serviços privados, a reforma trabalhista tem estimulado uma onda de demissões e precarização. O mais recente exemplo é o da Latam: 1.300 trabalhadores foram demitidos da empresa aérea nos aeroportos de Guarulhos e Galeão e serão substituídos por terceirizados. Sindicatos denunciam que os terceirizados sequer possuem equipamento de proteção individual. Veja na RBA.

Debandada. Cada vez mais, os brasileiros saem do país com a intenção de não voltar mais. Essa tendência, que aumenta ano após ano, foi registrada pela Receita Federal. Em 2011, o órgão registrou a saída definitiva de 8.170 pessoas. Em 2017, pelo menos 21.701 saídas definitivas foram registradas - um aumento de 165%. Reportagem do portal R7.

 

VOCÊ VIU?

Malandro é o gato. Alegando discordar do modo como o governo federal tem lidado com a questão dos venezuelanos em Roraima, o senador Romero Jucá anunciou que não é mais líder de Temer no Senado.

Por falar em Venezuela. Um dia depois de ter autorizado o uso das Forças Armadas em Roraima, o governo Temer deu declarações contraditórias a respeito da crise humanitária. No El País

Aumento. Ministros do STF e Temer chegaram a um acordo sobre o aumento do judiciário, de 16,38%, que seria "compensado" com a incorporação do auxílio-moradia aos vencimentos básicos.

Adversários. Alckmin decidiu que Bolsonaro é mesmo seu adversário. Um vídeo de sua campanha mostra que não dá para resolver os problemas brasileiros "na bala". O Brasil de Fato mostra que o discurso de Alckmin sobre armas é contraditório.

A lei… O delator que é a principal fonte das acusações do MP-SP contra Haddad teve um contrato bilionário cancelado pelo petista assim que assumiu a prefeitura. No blog Socialista Morena.

…é para todos. A decisão do STF de que estão prescritos os crimes atribuídos a José Serra que ocorreram até agosto de 2010 deve beneficiar o ex-diretor da Dersa Paulo Vieira de Souza, conhecido como Paulo Preto. Serra foi favorecido por uma regra do Código Penal segundo a qual os crimes caducam na metade do tempo para quem 70 anos na data da sentença. Serra tem 76 anos.

 

É BOATO

Mentiras. Bolsonaro foi entrevistado no Jornal Nacional e mentiu deslavadamente sobre dois temas, pelo menos. O livro "Aparelho Sexual & Cia", chamado de "kit gay" pelo candidato, jamais foi distribuído nas escolas. O tal "Seminário LGBT Infantil", que teria acontecido na Câmara, também era mentira.

 

BOA LEITURA

Cria cuervos. "O antipetismo saiu do controle de quem o gestou", diz o pesquisador William Nozaki em entrevista à Rede Brasil Atual.

Lawfare. Método Lava Jato se espalha pela América Latina contra governos progressistas. Reportagem do Brasil de Fato.

Judiciário contra a democracia. O poder Judiciário quer retirar do cidadão o direito de escolha nas eleições. A conclusão é do cientista político Leonardo Avritzer, em entrevista à Carta Capital.

Quem é o eleitor de Bolsonaro? O fenômeno Bolsonaro exige mais do que simplificações. Por que jovens pobres e da periferia optaram pelo candidatura? Esta é a pesquisa da socióloga Rosana Pinheiro-Machado, entrevistada pela Diálogos do Sul.

Reforma Trabalhista. O Observatório do Vale dos Sinos, tradicional região industrial da grande Porto Alegre, fez um intenso estudo sobre as consequências da reforma trabalhistas na região. Conheça os dados e a análise aqui.

Fumo. A Agência Pública compartilha um capítulo de "Roucos e sufocados" de João Peres e Moriti Neto, livro-investigativo que destrincha o funcionamento da indústria do tabaco no Brasil, revelando as redes de interesses movimentados pelas empresas e asfixiando os pequenos agricultores. Leia com atenção aqui.

Veneno. A disputa pela liberação de agrotóxicos não atinge apenas os pequenos agricultores. Reportagem da Carta Capital relata casos de contaminação, escuta especialistas e levanta dados importantes para o debate.

Grãos. Reportagem inédita e surpreendente da BBC Brasil revela que, desde 2009, ao menos 106 pessoas morreram em silos de grãos no país, a grande maioria por soterramento.

"Convicções duvidosas". Uma boa análise do cenário eleitoral foi feita por João Brant, ex-secretário executivo do Ministério da Cultura, em sua conta no Facebook.

 

Obrigado por nos acompanhar até aqui. Voltamos na próxima semana! Não esqueça de recomendar aos amigos: http://bit.ly/AssinePonto

Edição: Beatriz Pasqualino