Violência

Candidato a deputado fala após sofrer violência praticada pela guarda municipal

Renato Freitas levou dois tiros de bala de borracha enquanto panfletava em Curitiba

Brasil de Fato | São Paulo (SP)

,

Ouça a matéria:

Renato Freitas, 34, advogado criminal, mestre pela UFPR, foi abordado pela GM e tipificado como desacato, resistência e injúria / Black Out CWB

O candidato a deputado estadual pelo PT do Paraná Renato Almeida Freitas foi entrevistado no programa Revista BdF nesta terça-feira (11). Ele levou dois tiros de bala de borracha da guarda municipal, no centro de Curitiba, no último domingo. 

No momento do ataque, Renato Freitas estava fazendo uma panfletagem de sua campanha. "Foi uma situação traumática e humilhante. Eles chegaram e me deram dois tiros", relatou Renato Freitas.

"Pela forma como ele [o policial] me tratou, dava para ver que acreditava que não haveria nenhuma consequência. Eu era a pessoa ali que poderia ser tratada como lixo, ser jogado na viatura, porque, infelizmente, essa é a tradição”, afirmou.

O candidato lembrou do caso de Cláudia, moradora do Rio de Janeiro que foi baleada, jogada em uma viatura policial e arrastada, após a porta do carro abrir.

Segundo Freitas, este tipo de atitude ocorre “pela certeza de que não vão ser punidos. Vão ser homenageados", disse. Após receber alta do hospital, o candidato a deputado estadual foi levado para prestar depoimento na delegacia. 

Ouça a entrevista completa!

Edição: Katarine Flor