DEMOCRACIA

Editorial | Ideias e lembranças não podem ser aprisionadas

É hora de dar um basta no golpe, limpar a casa e mostrar que a vontade do povo é a maior força que o Brasil tem

Brasil de Fato | Recife (PE)

,
Esta lembrança coletiva incomoda muito aqueles oportunistas que fazem carreira na política. / Ricardo Stuckert

As eleições deste ano estão se aproximando e cada vez é mais urgente nos posicionarmos, escolhermos nossos candidatos e preparar nossas colinhas para a votação do dia 7 de outubro. Mas esta eleição não é igual às outras.

Os acontecimentos recentes no Brasil, principalmente a retirada da presidenta Dilma, eleita pela maioria dos votos em 2014, nos mostram que nem sempre aqueles que julgamos nos representar o fazem quando estão no poder. Vemos que mesmo a vontade do povo expressa nas urnas pode ser ignorada por pessoas que até pouco tempo pareciam ser tão próximas de nós, mas que agora, embrulhados em seus paletós, nem de longe parecem os mesmos que bateram em nossa porta.

O caos gerado no Brasil pelo governo sem povo do corrupto Michel Temer e seus aliados abriu espaço para muitos oportunistas que tentam nos enganar com frases feitas, mas sem nenhum conteúdo. Alguns chegam ao ponto de querer ganhar as eleições promovendo o que há de pior na sociedade, o racismo, o machismo, o ódio aos trabalhadores.

O fato é que desde a saída da presidenta Dilma, o que representou um duro golpe à democracia nacional, a vida de quem trabalha para sobreviver tem piorado. E não são Messias ou Coelhos tirados da cartola que irão de forma mágica resolver nossos problemas.

O povo brasileiro lembra muito bem como era a vida antes do golpe. Tínhamos trabalho, comida na mesa, nossos filhos entravam na universidade e se tornavam professores, engenheiros, advogados; tínhamos médicos que atendiam às famílias nos municípios mais distantes. Vivia-se melhor. Esta lembrança coletiva incomoda muito aqueles oportunistas que fazem carreira na política.

Esta lembrança, que se fez ideia e que pode se fazer realidade, está hoje impedida pelo judiciário de concorrer às eleições presidenciais. Acontece que as ideias e as lembranças não podem ser aprisionadas e os golpistas sentem medo a cada pesquisa de intenção de voto que mostra em primeiro lugar o melhor presidente que o Brasil já teve, com condições de ganhar no primeiro turno.

Lula representa os sonhos do povo brasileiro, os inimigos do povo ousaram tentar nos impedir de realizar estes sonhos, por que eles próprios já perderam o sono, já não podem sonhar. Mas nós temos esperança de que o povo pode ser feliz de novo, por isso atenção, estas eleições não são iguais às outras.

No dia 11 de setembro, o PT lançou Haddad como candidato a presidente e Manuela D’ávila como a vice. Estes terão a tarefa de ser Lula, e, se Lula é o povo, a nossa tarefa é defender esta candidatura. Mas não é só elegendo o presidente que Lula indicou que tudo irá se resolver. Não vamos esquecer que foi o Congresso (deputados e senadores) que tiraram Dilma e, portanto, temos que escolher deputados (federais e estaduais) e senadores que estejam ao lado de Lula e de tudo que ele representa.

É a hora de dar um basta no golpe, de limpar a casa, de mostrar que a vontade do povo é a maior força que o Brasil tem e, principalmente, é hora de retomar a democracia em nosso país.

Edição: Monyse Ravena