Eleições

Haddad é recebido por multidão no semiárido, neste domingo

Governadores de PE e BA estiveram na caminhada e se comprometeram com a revitalização do Rio São Francisco

Brasil de Fato | Petrolina (PE)

,
Cerca de 30 mil pessoas acompanharam os candidatos na travessia entre as cidades de Juazeiro e Petrolina / Fotos: Vanessa Gonzaga

O candidato à Presidência da República Fernando Haddad (PT) esteve neste domingo (23) em caminhada pelas cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), ligadas pelo Rio São Francisco. Cerca de 30 mil pessoas atravessaram a Ponte Presidente Dutra, que liga as duas cidades, para o comício na Praça Dom Malan, no centro da cidade.

Acompanhado pelos candidatos a governador Rui Costa (PT) da Bahia, e Paulo Câmara (PSB), com sua vice Luciana Santos (PCdoB), de Pernambuco, e os candidatos ao Senado Humberto Costa (PT-PE) e Jaques Wagner (PT-BA), Haddad mencionou em diversos momentos de seu discurso que irá priorizar a revitalização do Rio São Francisco. A proposta, que também foi reforçada pelos candidatos aos governos da Bahia e Pernambuco, é pautada pelos movimentos populares desde o início das obras da transposição em 2007, durante o governo Lula.

“Eu quero assumir um compromisso com vocês. Nós vamos intensificar a recuperação da nascente do São Francisco. Tem regiões do rio que estão assoreadas, outras com lixo e poluídas, e se continuar assim, o rio corre risco, e ele é o coração do país, nós precisamos compreender a importância dele”, enfatizou Haddad.

A atividade deste domingo contou com o apoio de diversas organizações populares, como o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB), Levante Popular da Juventude, a Articulação Semiárido Brasileiro (ASA) e a Confederação Nacional dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares. Vários candidatos a vagas nas assembleias legislativas da Bahia e Pernambuco e que disputam uma cadeira na Câmara dos Deputados também participaram da agenda de campanha.

Semiárido

Para Cícero Félix, da ASA Bahia, o fomento às políticas para a agricultura familiar e para a agroecologia tem uma relação com os governos progressistas no Brasil. “A ASA defende um projeto de sociedade. E nesse projeto nós apresentamos a convivência com o semiárido, por isso nós estamos aqui. O objetivo é apresentar para os candidatos dos governos da Bahia e Pernambuco, e também ao governo federal, propostas que garantam a convivência, o acesso à terra, à reforma agrária, o direito à água para todos, a educação contextualizada e condições dignas para que essas populações do semiárido tenham direito à cultura, lazer e informação. Essa é pauta que vamos apresentar”, citou.

Durante a travessia entre as cidades de Petrolina (PE) e Juazeiro (BA), uma intervenção organizada pelos movimentos populares abordou a importância do Rio São Francisco para a população da região e reforçou a importância de preservá-lo. Haddad foi ao encontro dos movimentos e recebeu de Alexandre Pires, da ASA Pernambuco, uma carta-compromisso contendo a pauta que envolve a convivência com o semiárido e a permanência da população rural no campo.

Alexandre afirmou que “o semiárido" não quer voltar a ser o lugar da miséria, da pobreza e da fome. "Queremos que você assuma o mesmo compromisso que Lula e Dilma tiveram com os povos do semiárido, que avançaram tanto nos governos do PT, e, infelizmente, tem recuado após o golpe”.

Educação

Já em Petrolina, o candidato petista ressaltou a educação. No palanque, além de vários candidatos e candidatas estava José Everton. Nascido em Inajá, no sertão do Moxotó (PE), Everton é estudante do último ano do curso de Medicina na Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf). Beneficiado pelas políticas de educação implementadas pelo governo Lula, no período em que Haddad foi ministro da pasta, o graduando teve a oportunidade de mostrar pessoalmente ao ex-ministro a canção que compôs e viralizou nas redes sociais.

“Eu sou filho de professores e minha vida começou a mudar quando foi implantado o Piso Nacional da Educação, quando meus pais começaram a ter estabilidade financeira. Lá em Inajá, eu passei o Ensino Médio inteiro estudando calado, pois tinha vergonha de dizer que tinha esse sonho de cursar Medicina e também por achar que não era possível. Fui aprovado pelo Enem e hoje sinto que sou uma inspiração, um exemplo para os jovens da minha cidade que sonham com o ensino superior”, cantou Everton.

Fernando Haddad relembrou a decisão de implantar a universidade onde Everton estuda. “Há mais de dez anos, eu estive aqui com o Lula e foi quando decidimos fazer a Univasf, com campi nas duas cidades, para que baianos e pernambucanos tivessem acesso à educação de qualidade. Essa foi uma das diversas iniciativas de interiorização da educação pública, junto com ProUni [Programa Universidade Para Todos]”.

O presidenciável finalizou o discurso falando sobre a importância da agregação e da paz. “Algumas das várias coisas que fazem um país crescer são a educação, o fortalecimento da economia e principalmente a paz. Não podemos propagar o ódio e a demonização das iniciativas de educação como um candidato tem feito. Se eles têm ódio, nós vamos falar de paz”, afirmou.

Edição: Cecília Figueiredo