Eleições 2018

Editorial | O outubro do povo ou o fascismo das elites

A pesquisa do Ibope do dia 24 de setembro confirma a transferência dos votos do ex-presidente Lula para Haddad

Brasil de Fato | Curitiba (PR)

,
Pesquisas apontam 2º turno entre Haddad, com programa de desenvolvimento nacional, e Bolsonaro, com privatizações e políticas de retrocessos / Latuff

A eleição mais acirrada da História brasileira começa a revelar o seu desfecho. Hoje, a votação está de acordo com a chamada polarização de classes sociais, apontando um segundo turno entre Fernando Haddad (PT), com um programa de desenvolvimento nacional, e Jair Bolsonaro (PSL), com um programa de privatizações e políticas contrárias a mulheres, negros, trabalhadores e LGBTs. Desta polarização surgiu uma forte organização: mulheres de diferentes setores protagonizam a eleição com a campanha #EleNão, decisiva neste momento.

A pesquisa do Ibope do dia 24 de setembro reforça a transferência dos votos do ex-presidente Lula para Haddad, em franca subida, e aponta o teto de intenções de voto para Bolsonaro. Os dados da pesquisa revelam que a rejeição à Bolsonaro é menor entre homens, brancos, com ensino superior, mais de cinco salários mínimos - apoio consolidado entre os mais ricos. Ao passo que a população pobre rejeita um projeto que continue as medidas do atual governo Temer.

Dentro da avaliação de importância de um Congresso mais progressista, a atual edição do Brasil de Fato Paraná contribui ao eleitor para levantar quais são as medidas populares e democráticas urgentes ao país, e quais as projetos que devem ser repudiadas nas urnas. Pela democracia e direitos dos trabalhadores!

Edição: Guilherme Daldin e Pedro Carrano