Intimidação

Ginecologista goiano atende com boné de Bolsonaro e recusa pacientes de vermelho

Atendente de hospital privado foi registrada em vídeo de celular fazendo "triagem política" de pacientes

Atendente do hospital, com camisa do candidato, diz que tenta evitar que pacientes sejam expulsas do consultório / Foto: Reprodução/Youtube

Uma atendente do Hospital Vittá, em Goiânia (GO), vestida com a camiseta do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), aparece em um vídeo que circula na internet advertindo os pacientes que o ginecologista Cláudio Coelho de Vasconcelos se nega a atender quem não vote no candidato.

A conversa foi gravada em vídeo por um paciente e pode ser vista abaixo:

Ela diz ainda que quem não vota em Bolsonaro nem entre na sala, pois o médico está muito estressado e até já expulsou pacientes por esse motivo. A atendente ainda relata no vídeo que o médico está com boné e camiseta do candidato.

A Fórum ligou para o Hospital Vittá. Uma mulher que atendeu ao telefone identificou o assunto imediatamente, disse que se tratava do ginecologista Cláudio Coelho e nos pediu que ligássemos para o seu advogado, que não foi localizado até o fechamento desta matéria.

Condenado por retirar útero sem autorização

O ginecologista e obstetra Cláudio Coelho de Vasconcelos já foi condenado, em 2009, a doar cinco cestas básicas para uma instituição de caridade em Goiânia. O especialista foi indiciado pela Polícia Civil por lesão corporal leve após ter retirado sem autorização o útero de uma desempregada de 47 anos de idade. O fato aconteceu no Hospital Santa Lúcia, na Capital.

A vítima tinha sido internada para uma operação de períneo, procedimento indicado para o tratamento de incontinência urinária.

Na denúncia, a paciente diz que o erro médico foi percebido por sua irmã, que trabalha como técnica em enfermagem, logo após a operação. O médico foi chamado e teria admitido que houve troca do prontuário. A operação no períneo só pode acontecer horas depois.

Edição: Diego Sartorato