Serviço

Especial Eleições | Como saber se seu título de eleitor ainda é válido?

Saiba também como irá funcionar o sistema biométrico de identificação

Brasil de Fato | Belo Horizonte (MG)

,
Documento é importante para o exercício da cidadania / Foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas

Além de se informar, pesquisar e ler sobre os seus candidatos nas eleições deste ano, também é importante ficar atento aos documentos que você vai precisar para exercer o seu direito ao voto. Um deles é o título de eleitor. Você sabe, por exemplo, se ele ainda está válido ou foi cancelado?

Para descobrir isso, você tem duas opções: pode fazer a consulta pela internet, no site do Tribunal Superior Eleitoral, o tse.jus.br e acessar o menu Situação Eleitoral. Na página, você precisará colocar o seu nome completo e a data de nascimento ou o número do título. 

Uma segunda alternativa é entrar em contato com a Central do Eleitor do seu estado e consultar a validade do documento. No site do TSE você encontra o número dos telefones dos tribunais regionais. 

O título é cancelado quando o eleitor deixa de votar e justificar a ausência em três eleições seguidas. Vale lembrar que o TSE considera cada turno do pleito como uma eleição.

O sistema biométrico já está valendo para as eleições deste ano?

O sistema biométrico de identificação atenderá a metade do eleitorado do país.  Neste ano, 2.793 municípios, sendo 22 capitais, utilizarão exclusivamente a biometria para identificar eleitores. O número revela que 48,65% das cidades brasileiras votarão com identificação biométrica. Em dez unidades da federação – Amapá, Alagoas, Distrito Federal, Goiás, Paraíba, Piauí, Rio Grande do Norte, Roraima, Sergipe e Tocantins – a biometria está 100% implantada.

Biometria em Minas

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral (TRE), 84 municípios têm a biometria como sistema obrigatório para as eleições deste ano. Entre eles, estão Betim Contagem, Uberaba e Uberlândia. Em Belo Horizonte e nos demais municípios de Minas, o recadastramento biométrico ainda não é obrigatório.

 

Edição: Joana Tavares