ELEIÇÃO

Em reta final do primeiro turno, Haddad aposta no diálogo com o Rio de Janeiro

Durante a visita, candidato prometeu aumentar salário mínimo e expandir polos educacionais da região

Brasil de Fato | Rio de Janeiro (RJ)

,
Fernando Haddad e Lindbergh Farias em comício na cidade de Nova Iguaçu / Foto: Ricardo Stuckert

O candidato à presidência da República Fernando Haddad (PT), realizou um comício na Cinelândia, no centro do Rio de Janeiro, dois atos políticos nas cidades de Duque de Caxias e Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense, além de fazer uma passagem por Campo Grande, na Zona Oeste, nesta semana. Em discurso, Haddad prometeu aumentar o salário mínimo para incentivar o movimento da economia no país e também afirmou que pretende expandir polos educacionais da região. 

Os encontros reuniram apoiadores do PT e também eleitores que buscam mais informações sobre os candidatos. O estudante de Turismo Paulo Roberto esteve presente no comício de Haddad no centro de Duque de Caxias. Para ele, a pauta da educação apresentada pelo candidato é o que mais chama a atenção.

“Estou acompanhando esse movimento do Haddad por conta da garantia da universidade pública e do ensino técnico de qualidade, tudo isso está em perigo atualmente”, ressaltou.

A passagem do candidato pela cidade de Duque de Caxias foi rápida, contudo, mobilizou uma parte da população que está insatisfeita com as medidas tomadas pelo atual governo de Michel Temer.

A professora Isabel Tomás também acompanhou o ato político. Para ela, a Emenda Constitucional 95, que congelou o investimento em saúde e educação, pode colocar o país numa situação grave nos próximos anos.

“Eu vejo um retrocesso de todo o trabalho que o PT teve na educação, precisamos que o Brasil volte a crescer, principalmente nesta área”, explicou.

Nova Iguaçu

Após a passagem por Duque de Caxias, Fernando Haddad seguiu para Nova Iguaçu onde realizou um comício na Praça Rui Barbosa, no centro da cidade.

Muitos presentes no ato político que lotou a praça foram com o objetivo de conhecer mais o presidenciável e suas propostas. Gabriel Soares foi uma dessas pessoas. O estudante de 17 anos vai votar pela primeira vez neste ano.

“Eu venho aqui mais para conhecer o Haddad que provavelmente vai combater o Bolsonaro no segundo turno, acredito que neste ato político eu consiga embasar mais o meu voto, principalmente, no segundo turno”, afirmou.

O ato contou também com a presença de candidatos do PT e PCdoB que concorrem a uma vaga no legislativo. Lindbergh Farias que disputa uma das duas vagas para o Senado pelo Rio pelo PT; Jandira Feghali, candidata a deputada federal (PCdoB); Benedita da Silva a candidata a deputada federal (PT) e Ferreirinha, candidato a deputado estadual (PCdoB) estiveram presentes no comício.

Haddad focou o seu discurso na educação, principalmente no ensino superior. Também comparou a atuação do candidato à presidência pelo Partido Social Liberal (PSL) Jair Bolsonaro no Congresso com a sua atuação à frente do Ministério da Educação.

“Eu fiquei só três anos no Ministério da Educação, o Bolsonaro ficou 28 anos na Câmara Federal e não fez 10% do que eu fiz por Nova Iguaçu e pelo Rio de Janeiro. Não aprovou uma lei importante para o estado, não trouxe um investimento significativo para o Rio”, destacou.

O candidato do PT também criticou a estratégia adotada por Bolsonaro de cortar direitos para manter a economia aquecida. Haddad ressaltou ainda que para a economia girar tem que aumentar o salário do trabalhador, porque só desta forma é possível ampliar o poder de compra da população.

Edição: Mariana Pitasse